Pular para o conteúdo principal

Postagens

ROCK | CULTURA POP | LIVROS | DISCOS | RÁDIO MUSIKALL | PODCAST | SHOWS

O mais recente lançamento dos selos SoteroRec e OCADISCOS marcou a estreia da nossa nova série, a Retro Rocks. Série essa que tem como proposta trazer para o ouvinte de hoje, trabalhos de bandas da primeira década do início deste século e além, e que sumiram na poeira da internet após o término das suas respectivas atividades. Um trabalho de resgate da memória da nossa cena local, em mais um sinal de sua riqueza e diversidade.
Este artista, ou banda, como preferir, é também um dos grandes motivos para a criação destes selos. Em outubro do ano passado me encontrei remexendo no baú da G.O.R., à procura de um material nosso que pudesse ser lançado em um futuro não muito distante, e, em meio a fitas k-7 com registros de canções sendo mostradas pela primeira vez, cd-r's com ensaios perdidos e antigas demos, eis que estavam dois cds que me chamaram a atenção, ambos possuindo um conteúdo que confesso não estar recordado, naquele momento, de possuí-los em mãos.
Estavam, literalmente, perdid…
Postagens recentes

Vigor stoner sem impedimentos. Por Leonardo Cima.

Diretamente da cidade de Perth, na Austrália, na semana que se iniciou o carnaval, foi lançado Doom, o trabalho de estreia da novíssima banda Black Diamond Lake. Super trio com forte influencia de stoner rock, a Black Diamond Lake possui em sua formação o baterista Dimmy "Demolition Man" Drummer (ex The Honkers e ex Vendo 147) assumindo o posto no instrumento, além do Barry Malice-Son (vocal e guitarra) e Mark Linkhorn (guitarra).
Este single contém duas faixas que vão bem além do gênero stoner citado acima, dialogando bastante com o rock clássico, dentre outros estilos que ajudam a dar corpo à musica encontrada aqui. Peso, som arrastado, psicodelismo lisérgico ligado aos sons ecoados do Rancho de La Luna dão um tom denso à característica do conjunto, que não deixa de lado momentos mais empolgantes nas suas composições mostradas aqui.
Na faixa título, encontramos o grupo arriscando bem com as possibilidades sonoras vindas de suas respectivas vivencias no mundo da música. Mais …

Depois do inferno...Tem outro Inferno...Por Sérgio Moraes

Ouvir bandas novas já faz parte da rotina de quem faz este site acontecer. Há quem duvide e não acredite que escutamos tudo atentamente, letra por letra, acorde por acorde. Nosso trampo é sério porque amamos tudo isso. 
Amo mais ainda quando alguns amigos voltam do inferno com boas novas. É o caso da banda D.D.I (Depois do Inferno), projeto novo de André Jegue (que mantem sozinho o projeto “Funciona Face” e Ex-integrante da não tão distante BR-64) e também André Batista – Bateria, Rodrigo Magalhães - Contrabaixo Mateus Galvão – Guitarra. Todos remanescentes de outras bandas da cidade. 
A DDI nasce com uma identidade própria já marcada pelos trabalhos anteriores dos caras, o que me deixa bastante contente. Quando André Jegue se dedica a cantar Hardcore seus vocais ficam lindos e agressivos não devendo nada a bandas como Dead Fish (Referência relevante do gênero). 
A D.D.I liberou duas ótimas músicas do seu próximo trabalho, “Depois do Inferno” e “Facada do Cão”, (Ouça as duas!). Ambas…

Explosão e caos sonoro. Por Leonardo Cima.

Na última quarta feira de cinzas (26/02), os selos do Portal Soterorock, o SoteroRec e OCADISCOS, fizeram o seu mais novo lançamento, o Warm Up Big Bands - Soterorock Sessions 5, da banda soteropolitana Malgrada. Este foi também o segundo disco incluso na nossa série de bootlegs, a Bootlegs Originals, que possui a proposta de disponibilizar apresentações das bandas locais no mesmo esquema dos discos ao vivo não oficiais de grupos internacionais, bastante populares nos anos 1990.

Sem overdubs e com qualidade de som e performance, esse formato permite ao ouvinte escutar a banda gravada como ela é em ação em cima do palco, em um recorte dentro da sua carreira, de maneira desnuda, sincera e honesta. E o que você vai encontrar neste trabalho do trio baiano (se já o escutou, provavelmente você concorde com o que escreverei adiante) não é menos do que energia e intensidade em suas composições, uma entrega digna de ser apreciada por mais e mais vezes.

O show foi captado na noite do feriado de s…

"Carnaval, carnaval, carnaval / Fico tão triste quando chega o carnaval" Por Sérgio Moraes

Com uma sonoridade ímpar desde os idos de 1985, a Banda Organoclorados (Alagoinhas-Bahia), Lançou seu mais recente vídeo “No Carnaval a Gente Esquece”. Você pode ouvir nas plataformas de vídeo espalhadas pela web ou aqui! 



O vídeo faz um paralelo visual da vida cotidiana, euforia e desespero se misturando na obscuridade dos dias turbulentos que vivemos. Misturando imagens de alegria (num simples passeio pela calçadão das ruas com a banda) e desilusões diárias (Coquetel Molotov e afins). A sonoridade blues-Rock da canção é bem vinda, pois, a participação especial de Lucas Costa na gaita harmônica abrilhanta ainda mais as imagens e a sonoridade de “No Carnaval a Gente Esquece”.
Veja e tire suas próprias conclusões deste belo vídeo, letra e composição dos cinco caras!
Organoclorados é: Alan Gustavo - guitarra; André G - baixo; Artur W - guitarra e voz; Joir Rocha - bateria; Roger Silva - teclados.
Título: Trecho da letra de Luiz Melodia “Quando o Carnaval Chegou.”

Um tributo para a Snooze à altura de sua obra. Por Leonardo Cima.

Tive a oportunidade de assistir a dois shows dos sergipanos da Snooze. A primeira vez foi no início dos já distantes anos 2000, quando dividiram palco com brincando de deus, Retrofoguetes e The Honkers, já a segunda foi mais recentemente, lá para os idos de 2012 em uma edição do Festival Big Bands, com várias outras bandas no line up. Nas duas ocasiões, a banda deixou em mim uma impressão daquelas marcantes quando se refere a um som indie, de essência guitar band, na melhor linha anos noventa que se pode imaginar.
Uma banda nordestina, de fora da Bahia e fazendo um som foda daquele só podia mesmo ser detentora e um respeito digno daquelas que realmente fazem sua musica com paixão e que se dedica a ela há longos anos nessa empreitada, muitas vezes louca, que é o rock'n roll. Recentemente, o grupo anunciou o final da sua carreira depois de 25 anos de atividade, porém, algo especial surgiu deste fim: um mais que merecido tributo à sua obra.
Idealizado e capitaneado pelo musico Gus Mach…

Marte caindo e aliens entre nós. Por Leonardo Cima.

No sábado do dia 25/01, a banda Marte em Queda lançou o seu trabalho de estreia e esse foi o momento para conferir de perto não só uma, mas duas das bandas que estão mais em alta atividade na cena daqui nesse último ano e meio. O segundo grupo em questão é o My Friend is a Gray, parceiros de jornada do trio baiano e que abriu a noite de som no já marcante Brooklyn Pub Criativo.
Com o local sempre pontual no inicio dos sons, comecei a acompanhar a festa pela live do perfil do pub no Instagram no caminho para lá, o que me deixou mais ansioso em chegar e percebendo, já in loco, o quanto não deu para ter, pelo vídeo, a noção de quanta gente compareceu ao evento. É comum o lugar receber uma boa quantidade de gente nas noites de sábado, mas logo de cara, um grupo de pessoas que se aglomerava na parede de vidro do seu lado de fora, para assistir ao som, chamou a atenção.

Meio que em zig zag e  me espremendo, adentrei no Brooklyn e a MFIAG, escalada para abrir a noite, já estava em um pouco mai…

Tem muito som no tabuleiro do rock aqui na Bahia. Por Leonardo Cima.

Depois do nosso hiato no ano de 2018, retomamos às nossas atividades aqui no site em 2019. É bem verdade que escrevemos menos do que esperávamos e pretendíamos, porém continuamos observando o que acontecia na cena ao longo desses doze meses que se passaram. Bastante som foi lançado, várias propostas sonoras diferentes ganharam a luz do dia e mantiveram esse ano como os seus antecessores: agitado em volume e em alta qualidade de produção.
Teve banda/artista apostando em single, ou fazendo as suas primeiras investidas solo, projetos musicais saindo do papel, banda lançando novidade depois de muito tempo sem disponibilizar um novo trabalho, ou seja, uma considerável quantidade de impulsos motivadores levaram à todas essas novidades da cena rocker da Bahia.
Então, resolvi fazer essas micro resenhas para compensar a minha baixa frequência por aqui pelo site no ano que passou e para fazer justiça com esses lançamentos, trazendo alguns títulos nessa matéria. Mas, frisando, essa não é uma lista…