Pular para o conteúdo principal

Baixista do Retrofoguetes anuncia álbum inédito em carreira solo

Comemorando 18 anos de carreira, o baixista e compositor CH Straatmann apresenta seu primeiro trabalho solo: Efecto Vertigo. Inspirado na sonoridade dos ritmos latinos, o álbum, que se encontra em fase de mixagem, marca o novo momento em sua trajetória artística. 

Efecto Vertigo 
Em nove faixas autorais inéditas, enfatizando gêneros como salsa, mambo, cumbia e até bolero, Efecto Vertigo valoriza o diálogo entre contrabaixo e percussão. As melodias dão suporte para os dois instrumentos em um disco essencialmente acústico. “Minha decisão de realizar este projeto surgiu no início de 2012, depois de um longo período de pesquisas onde passei a ter um contato cada vez maior com a música latina. Tem sido uma experiência maravilhosa e desafiadora transitar por esse universo”, afirma o músico. Produzido por Jorge Solovera e CH, o disco conta com a presença do percussionista Rudson Daniel - conhecido por seu trabalho de destaque na Banda EVA, Daniela Mercury, Lazzo Matumbi e Retrofoguetes - na premiada faixa “Maldito Mambo!” (Chachachá). O violonista e etnomusicólogo Cássio Nobre (Viola de Arame) faz uma participação especial em duas faixas. A arte da capa do CD é assinada pela designer e desenhista Nila Carneiro. Em quase 20 anos de carreira profissional, CH Straatmann acumula um portfólio como baixista, produtor, arranjador e/ou compositor em projetos de artistas de diversos segmentos como Retrofoguetes (Ativar Retrofoguetes!, O Maravilhoso Natal do Retrofoguetes, Chachachá, Dramascope Vol. 1), Dois Sapos e Meio, Joel Justin (EUA), Confraria da Bazófia, Carla Visi, Dois em Um, Diego Orrico & The Blue Bullets, Bestiário, entre outros. 

Carreira solo 
Em 2012 o artista decide apresentar o seu primeiro trabalho solo, ao mesmo tempo em que se prepara para entrar em estúdio para gravar o terceiro disco autoral dos Retrofoguetes (Dramascope Vol. 1). Com Efecto Vertigo CH se propõe a explorar o universo rítmico da música latina, tocando diversos instrumentos. Confirmando a experiência de compositor e contrabaixista versátil, neste disco o músico toca violões, baixo acústico e baixo elétrico, além de assinar a produção e composição de todas as músicas. “Na gravação somos eu fazendo cordas e Rudson Daniel fazendo as percussões. Dois caras e muitos instrumentos! Jorge Solovera comanda a sessão de mixagem, realizando a tal ‘alquimia do som’”, adianta CH.

Popular Posts

Marte caindo e aliens entre nós. Por Leonardo Cima.

No sábado do dia 25/01, a banda Marte em Queda lançou o seu trabalho de estreia e esse foi o momento para conferir de perto não só uma, mas duas das bandas que estão mais em alta atividade na cena daqui nesse último ano e meio. O segundo grupo em questão é o My Friend is a Gray, parceiros de jornada do trio baiano e que abriu a noite de som no já marcante Brooklyn Pub Criativo. Com o local sempre pontual no inicio dos sons, comecei a acompanhar a festa pela live do perfil do pub no Instagram no caminho para lá, o que me deixou mais ansioso em chegar e percebendo, já in loco, o quanto não deu para ter, pelo vídeo, a noção de quanta gente compareceu ao evento. É comum o lugar receber uma boa quantidade de gente nas noites de sábado, mas logo de cara, um grupo de pessoas que se aglomerava na parede de vidro do seu lado de fora, para assistir ao som, chamou a atenção. Meio que em zig zag e  me espremendo, adentrei no Brooklyn e a MFIAG, escalada para abrir a noite, já estava

Como na profundidade do cosmo. Por Leonardo cima.

Bem no começo desse ano, em janeiro, antes de toda essa agonia que nos encontramos, de pandemia e quarentena, a banda soteropolitana Vernal lançou o seu mais recente trabalho, Epicteto. Essa ressalva inicial do período desse lançamento se faz presente pelo fato de trazer uma recordação recente, de se botar na praça algo novo e poder circular livremente por aí pelas gigs e se esbarrar com os seus autores em um palco tocando as suas canções. Digo isso de maneira geral, até. As produções da cena continuaram e continuam em meio a quarentena, mas esse sabor de presenciar as coisas de perto já começa a pesar, de certa maneira, e visitar esse disco da Vernal também é visitar esse período de cerca de dois meses e meio, ou três (quase!), de liberdade sem restrições que ainda gozávamos. Olhando mais para dentro desse momento, o trio estava vivendo uma boa projeção na cena, com boa frequência de shows e aparição em canais de comunicação alternativa, alguns deles em seus passos iniciai

Sexto guia de singles de bandas baianas. Por Leonardo Cima.

Mais uma vez o Portal SoteroRock traz a sua lista de singles de bandas e artistas baianos, lançados ao longo desse período pandêmico no qual nos encontramos neste 2020. Para essa ocasião, a diversidade ainda marca uma forte presença nessa seleta. Rock, pop, metal, eletrônico, folk e o grande leque que se abre a partir desses gêneros vão aparecer para você aqui enquanto faz a sua leitura. Então, abra a sua mente, saiba um pouco sobre cada um dos trabalhos citados aqui, siga cada um nas redes sociais (se possível, é claro!) e, óbvio, escute as canções!! Se você acha que faltou algum artista/banda aqui nessa matéria, mande uma mensagem inbox pelo nosso perfil do Instagram, que iremos escutar! Midorii Kido - Sou o que Sou Para quem acha que o rock já se esgotou em termos de abraçar minorias e até mesmo acredita que é conservador, este primeiro single da drag queen Midorii Kido é um tapa na face daqueles que professam dessa maneira contra o gênero. Sou o que Sou é um rock forte,