Segunda feira de carnaval, dia de rock!

De todos os cantos em que se podia estar no carnaval de Salvador, o coqueiral de Piatã era o único que eu ainda não havia visitado neste ano. O já tradicional Palco do Rock, organizado pela ACCRBA, se encontrava no terceiro dia de sua décima nona edição e, assim como nos outros dias, trazia um line up que reversava bandas incógnitas com outras um pouco mais conhecidas(?). O evento começou no horário programado e, como sempre, foi bem prestigiado pelo público rocker da cidade que encheu o local e fez a real diferença naquela noite. Por outro lado o som do palco não estava bom até a metade da apresentação da quarta banda e o “buraco” na programação feito pelo cancelamento do show do Krisiun, cancelamento este ocorrido por questões contratuais, foram aspectos extremamente negativos que ficaram bem evidentes no evento. Independente da verdade musical defendida por cada banda que se apresentou, o público se mostrou receptivo a cada uma delas, o que é uma coisa difícil de ver diante da diversidade de bandas e diante de um público formado em sua maioria por fãs de rock mais pesado, mostrando que as pessoas estavam ali para simplesmente curtir música rock sem se importar com o que iria sair das caixas de som, foi realmente algo digno de ser comentado. Abrindo o evento, a banda MotherFucker se mostrou entrosada e descarregou todo o seu hard-blues na apresentação, mas ficou por isso mesmo, pois a banda tem muito o que aprender e Johnny Cash agradeceria se eles não tocassem uma música dele. 
Na sequência a Circo de Marvin mostrou desde o principio a forte influência de pop rock na sua música, o que não causou surpresa com a execução de covers das bandas O Rappa e Red Hot Chilli Peppers e, sim, ficou muito claro que show pirotécnico não melhora a apresentação de banda alguma. De Feira de Santana, a Metalwar até o momento da sua apresentação foi a banda com mais personalidade e, apesar de alguns deslizes técnicos da própria banda eles aqueceram com competência o público fã de metal para as apresentações seguintes. Os brasilienses da Madrenegra e os paranaenses da Motorocker começaram com shows que pareceram óbvios no início, mas que aos poucos foram crescendo e tomando conta da audição presente e isso se deu muito devido ao carisma dos integrantes das duas bandas e pelo repertório bem executado por ambas. A Cangaço, de Pernambuco, tocou seu death metal com influências nordestinas para um público que se dispersava pelo espaço do evento, mas agradou a quem viu, só não deu para ficar até o final da apresentação por questões logísticas da volta para a casa. Com esse fato ficam as minhas sinceras considerações a Trassas, de São Paulo e a Minus Blindness. 
Em relação a Krisiun, a sua ausência fez falta sim ao PDR e cabia a organização do evento um melhor posicionamento em relação a esse fato. Cabe aqui dizer que, esta edição teve a participação de grandes bandas baianas como a Headhunter DC, Irmao Carlos e o Catado, Pastel de Miolos e Norfist que não devem nada a banda alguma de fora, mas seria muito interessante se houvesse uma participação mais significativa de grandes nomes de fora da Bahia. Sei que muitos irão discordar de mim nesse aspecto, mas prefiro me colocar sobre isso a aceitar calado exatamente como se cala um folião que se espreme entre o camarote e a corda do bloco na avenida. O saldo final foi um dia de carnaval animado e divertido e todas as pessoas que estavam lá sabem disso. Que venha o Palco do Rock 2014!
Gostou? Não gostou? Concorda? Discorda? Então mande seu e-mail para o rotaalternativa@soterorockpolitano.com que a gente lê no nosso próximo programa!
Share:

Online

Bandas

32 Dentes 4 Discos de Rock Baiano 4ª Ligação A Flauta Vértebra Aborígines Acanon Ádamas Almas Mortas Amor Cianeto André dias André L. R. Mendes Anelis Assumpção Antiporcos Apanhador Só Aphorism Aqui tem Rock Baiano Aurata Awaking Baiana System Bauhaus Bilic Black Sabbath Blessed in Fire Blue in the Face Boogarins Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes Buster Calafrio Callangazoo Carburados Rock Motor Cardoso Filho Carne Doce Cartel Strip Club Cascadura Casillero Céu Charles Bukowski Charlie Chaplin Chuva Negra Cidadão Instigado Circo de Marvin Circo Litoral Cólera Dão David Bowie Declinium Derrube o Muro Desafio Urbano Desrroche Destaques dez caras do rock Documentário Downloads Du Txai e Os Indizíveis Duda Spínola Enio Entrevistas Erasy Eric Assmar Espúria Eva Karize Exoesqueleto Festival Filipe Catto Free?Gobar Fresno Fridha Funcionaface Game Over Riverside Giovani Cidreira HAO Heavy Lero Hellbenders Ifá Incubadora Sonora Ingrena Invena Inventura Irmão Carlos Ironbound Jack Doido Jackeds Jardim do Silêncio Jato Invisível Kalmia Kazagastão KZG Lançamentos Latromodem Lee Ranaldo Limbo Lírio Lo Han Locomotiva Mad Monkees Madame Rivera Mais uma Cara do Rock Baiano MAPA Marcia Castro Maria Bacana Maus Elementos Messias Modus Operandi Motherfucker Mulheres Q Dizem Sim Murilo Sá Nalini Vasconcelos Neurática Not Names Novelta O Quadro O Terno Old Stove Olhos Para o Infinito Órbita Móbile Organoclorados Os Canalhas Os Elefantes Elegantes Os Jonsóns Os Tios Overfuzz Ozzmond palco do rock Pancreas Pastel de Miolos Pesadelo Pirombeira Pitty Portal Pós-punk Prime Squad Programas Quadrinhos Rattle Resenha de discos Resenha do cd Reverendo T Reverento T Rivermann Rock Rock Baiano Rock Baiano em Alta Rock de camaçari Ronco Scambo Show Shows Shows. Cascadura Siba Singles Soft Porn Sons que Ecoam Squadro Subaquático Super Amarelo Surrmenage Tangente Teenage Buzz Tentrio Test The Baggios The Cross The Honkers The Pivos Theatro de Seraphin Thrunda Titãs Tony Lopes Tsunami Universo Variante Úteros em Fúria Vamoz! Van der Vous Vende-$e Vivendo do Ócio Wander Wildner Weise Wry

Matérias

Antigas

Mais Populares