Pular para o conteúdo principal

"As DEZ caras do Rock Baiano": Com PJ, guitarrista The Honkers!

O foco principal das matérias é mostrar que existe vida experiente fazendo rock nessa cidade. Mesmo que escondidos ou sem aparecer nos lugares mais badalados dessa cidade linda e maltratada. Numa entrevista breve e direta, conversamos com PJ, (atual guitarrista da banda The Honkers). Garage rock, ska, street rock, surf music, punk rock 77, pós-punk, metal, Psicodelismo...teriamos que passar o dia inteiro descrevendo os gêneros e sub-gêneros musicais que definem esse pequeno homem notável na música. Pedro Jorge (O Oráculo), ou simplesmente “PJ” é o experiente guitarrista sotero”rock”politano, que trás um pouco das suas impressões e reflexões nessa serie que reunirá as “Dez caras do rock da Bahia”. 

SRP: Porque o rock? 
PJ: A primeira vez que tive contato com o rock foi impactante pra mim e até hoje essa música libertária, maldita e catártica é o que me mantem vivo e livre desse mundo chato e convencional demais. (Risos). 
SRP: Apesar de concordar com você, existem aqueles que defendem a morte do rock, o que você acha dessa frase. ” O rock morreu!”? 
PJ: Então o mundo já não é mais um bom lugar para se viver. 
SRP: Já que para você o rock ainda continua vivo, quebrando algumas vidraças e chutando lixo por ai! Como você enxerga a atual cena de rock internacional? 
PJ: Tem muita banda querendo fazer um som parecido com a banda do momento, aí se perde na identidade musical e a oportunidade de fazer algo mais original e próprio, apesar de que existem bandas legais, desconhecidas ainda do grande público, infelizmente. 
SRP: Verdade, tudo muda quando você tem vontade de pesquisar e ir mais a fundo do que a grande mídia mostra. Não fugindo do tema, tem alguma banda que você destaca aqui da cidade? 
PJ: Sei que tem muita banda interessante fazendo um som competente aqui na Bahia só esperando alguém que acredite e invista no movimento, não consigo destacar uma só, seria injusto da minha parte. 
SRP: Então para não ser injusto, fale um pouco da atual cena da cidade, quais as suas impressões? 
PJ: Como falei na pergunta anterior, a cena existe e pode se projetar mais, o que falta é alguém que acredite e invista mais em nossos artistas e bandas. 
SRP: Muito bom saber que você um guitarrista experiente que já passou por várias cenas de rock dessa cidade, acredita, que ainda podemos mudar. E quais foram as influências para que você tivesse essa paixão pelas guitarras? 
PJ: São tantas as influências guitarristicas que faria uma lista enorme aqui...(risos), Mas, posso dizer que Hendrix, Page e Beck são as principais, apesar de ter várias outras referencias de guitarristas geniais. 

SRP: Sabemos da sua sede pelo garimpo musical e por mais influências (Risos). Não queria perguntar, mas já perguntando, The Honkers jogou a toalha ou ainda pensa em fazer rock por muito tempo? 
PJ: Não jogamos a toalha, só demos um tempinho pra cada um cuidar um pouco da vida particular e mesmo assim, apesar desse hiato de shows estamos trabalhando em um novo CD. 
SRP: Ótimo! Então isso é noticia em primeira mão, novo Album de ineditas vindo por ai. Anotado, queremos ser os primeiros a divulgar essa noticia oficial quando ficar tudo pronto! E a música como exerga ela daqui para a frente? 
PJ: Como algo que vai sempre evoluir, se reinventar e nos surpreender sempre. 
SRP: Indica alguma coisa nova pra gente ouvir e desfrutar desse seu conhecimento musical. 
PJ: Cara, sou um melomâniaco e garimpeiro de bandas/artistas interessantes, são inumeras as indicações mas, posso citar algumas, como: B-Back, The Powerchords, Dee Rangers, Eurovox, Electrisixties, Hollywood siners, Baby woodrose, Title Tracks, The Jewws, Pillbugs, Off, Acid Baby Jesus, the Heys,Thee on Sees, White Face, Ty Segall, OBN llls, Mark Sultan,Thee Spivs, black Lips... 
SRP: Meu velho amigo e irmão Pedro, desde já agradecemos essa sua paciência em nos responder e presentear o nosso site e o grande publico com esse papo maravilhoso! Como as pessoas podem entrar em contato com você, ou não (Risos)? 
PJ: Através dos endereços da Honkers mesmo. Valeu galera e um abração.

Popular Posts

O melhor do que eu não escrevi no Portal Soterorock em 2018. Por Leo Cima.

Neste ano de 2018 o Portal Soterorock resolveu tirar alguns dias de folga. Algo próximo a trezentos e sessenta e cinco dias, quase um ano, é verdade. Porém, é fato que, depois de dez anos cobrindo a cena roqueira local, com textos ou podcasts, sem incentivo financeiro algum, o site decidiu que seria o momento certo para dar um tempinho nas atividades daqui, para priorizar e atender a outras demandas não menos importantes. Mas, mesmo distante das publicações, nos mantivemos atentos ao movimento do cenário, observando quem se manteve atuante, seja em estúdio, ou nos palcos.
Muita coisa aconteceu este ano na cena rocker da Bahia, desde discos lançados até uma boa frequência regular de shows na capital baiana, mesmo com um número cada vez menor de casas que recebe o gênero por aqui. E é esse segundo item que ganhará destaque aqui nesta matéria, em uma outra oportunidade falarei sobres os lançamentos baianos de 2018, vamos com calma. O fato é que, fazendo visitas a eventos, seja como um pag…

“As Dez Caras do Rock Baiano” com Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute)

Chegando ao final da sua primeira fase, a série “As Dez Caras do Rock Baiano” traz em sua quinta entrevista uma das grandes personalidades já presente na cena local há muitos anos: o vocalista da The Honkers, Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute, como preferir). Nessa conversa, que foi uma das mais longas e intrigantes dessa série e realizada na época da volta da banda aos palcos soteropolitanos, Rodrigo falou sobre o que chama a sua atenção no cenário, o cuidado que um artista têm que tomar com a sua própria arte, como a quantidade de informação influencia no jeito raso de ser do novo roqueiro e sobre as intenções para o futuro da The Honkers, além de se mostrar como um autor de livros de auto ajuda em potencial. Você já sabe, se ajeite com firmeza na cadeira e embarque nessa entrevista dessa grande figura do rock da Bahia. 
SRP - Como foi ficar um ano longe da The Honkers? 

Rodrigo Chagas - Zorra... Normal, hehe. Cansei na sétima música. 

SRP – O que achou do retorno da The Honkers aos pa…

Discoteca Básica Soterorock Apresenta: Entre 4 Paredes

Dando continuidade na nossa maratona especial da quarta edição do Soterorock Sessions, aqui vai mais uma postagem da série Discoteca Básica Soterorock Apresenta. Dessa vez, trazendo mais uma atração do nosso evento, a banda Entre 4 Paredes. Com diversas influências musicais, que vão do pop rock, até o post punk, passando pelo rock nacional e o gótico, o sexteto traz para essa matéria bons sons que merecem uma audição mais atenta e, junto a eles, as suas relações com cada um desses discos. Pegue carona nas dicas do grupo e deguste cada segundo musical dessa lista!
David Vertigo (tecladista)
Suicide - Suicide


O disco que inventou o cyberpunk antes dele existir. O trabalho de estreia homônino da dupla Suicide (Alan Vega nos vocais e Martin Rev no sintetizador) mostra da forma mais crua possível o que bandas de Industrial, EBM e afins só exibiriam décadas mais tarde:  niilismo, subversão, falta de esperança, ódio, inconformismo... Com timbres minimalistas, baterias repetitivas, vocais nonse…