lollapalooza -2013 | Show do Flaming Lips - Ponto de Vista


Meio foda! Mas tenho que assumir que o "foda" que eu falei foi no sentido bom! Assim foi como eu acho que boa parte da galera que ja ouviu muitos trabalhos do Flaming Lips enxergou o show ontem, dia 29/03, no Lollapalooza Brasil.

Show que deu o que falar e gerou uma resenha gigantesca entre nós do Soterorockpolitano para tentar entender porque Wayne Coyne (vocalista do grupo) trouxe para o brasil um show tão intimista como o de ontem.

Eu, particularmente, conheço o Lips antes mesmo deles trazerem bolas coloridas ao palco, e pra quem já viu coisas antigas deles, sabe que eles não se prendem a estética de apenas um disco como foi o "Yoshimi battles the pink robots", mas eles conquistaram muitos fãs e mídia nessa estética e isso pesou um pouco nessa passagem no brasil.

O show iniciou as 18:30 e de inicio já trouxe sua peculiaridade: Wayne estava estranhamente cabeado e com um bebê (obviamente de brinquedo) e que durante "ao que foi possível ver do show" (explicarei as aspas mais adiante), não ficou claro pra que servia a presença do bebê. Porem devo considerar que a produção do palco é boa demais. Se era pra soar esquisito convenceu! E convenceu bem! Com fumaças e luzes exageradas em azul, e com luzes passeando pelos cabos que estavam presos a Wayne, em alguns momentos a imagem do palco ficou incrível.

Em se tratando do Flaming Lips já era de se esperar.

Mas ai o show começa a ficar massivo, logo de inicio. Com momentos interessantes como em "The W.A.N.D." e em "Silver Trembling Hands". Mas foi logo durante as 5 primeiras musicas, uma delas a nova "The Terror" que o tedio tomou conta do espectador.

Pra completar, veio a trollada musical do ano: (vamos explicar aquelas aspas que eu falei antes)

Sabemos que as empresas visam o seu bem estar, mas a Multishow ontem escancarou de vez. O Show do Flaming Lips estava realmente parado, isso ninguém nega! Wayne soltou piadas sem graças sobre queda de avião, sobre o bebê estar dormindo durante o show e ficou boa parte do show chamando o publico na base do "c'mon, c'mon" e até arriscou um "C'mon Motherfuckers" mas ai o que a Multishow faz? muda a transmissão para o show do DJ Marky!! (que diga-se de passagem, não fez feio, pois ate um Bizarre Love Triangle do New Order rolou no show dele). E depois de umas 5 ou 6 musicas, o que a Multishow faz? Volta para o show do Flaming Lips!!!!

Coincidentemente ou não, no momento em que eles começaram a tocar Hits como "Yoshimi battles the pink robot" e "Do You realize?"!!!

O mais foda foi o cara da Multishow tentando explicar que a manobra utilizada foi para mostrar que a Multishow é democrática e gosta de mostrar todos os palcos. (não colou né? pra mim também não!), pois eles devem ter sido exaustivamente xingados por aqueles que estavam gravando no seu aparelho de tv por assinatura, ou por aquela turma que já estava planejando compartilhar o arquivo do show na internet.

A ultima musica do show foi boa, boa mesmo! Mas a merda ja tinha sido feita!

Deu a impressão de que o Flaming Lips jogou num festival um setlist de Turnê Própria! As pessoas que vem de outros estados do Brasil, para ver esses artistas no Rio ou em São Paulo, esperam ver hits. O show não precisa ser punk ou agitado, mas as musicas principais daquela banda merecem ser tocadas. O Lips podia se dedicar a "Bad Days" ou "She Don't Use Jelly", mas nem chegou perto disso. Saiu do palco com uma sensação de "Já foi tarde!". Não desmerecendo a banda. Muito boa por sinal. Mas deixaram o questionamento: Será que depois dessa eles voltam para o Brasil?

Por John-John
Share:

Online

Bandas

32 Dentes 4 Discos de Rock Baiano 4ª Ligação A Flauta Vértebra Aborígines Acanon Ádamas Almas Mortas Amor Cianeto André dias André L. R. Mendes Anelis Assumpção Antiporcos Apanhador Só Aphorism Aqui tem Rock Baiano Aurata Awaking Baiana System Bauhaus Bilic Black Sabbath Blessed in Fire Blue in the Face Boogarins Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes Buster Calafrio Callangazoo Carburados Rock Motor Cardoso Filho Carne Doce Cartel Strip Club Cascadura Casillero Céu Charles Bukowski Charlie Chaplin Chuva Negra Cidadão Instigado Circo de Marvin Circo Litoral Cólera Curumin Dão David Bowie Declinium Derrube o Muro Desafio Urbano Desrroche Destaques dez caras do rock Documentário Downloads Du Txai e Os Indizíveis Duda Spínola Enio Entrevistas Erasy Eric Assmar Espúria Eva Karize Exoesqueleto Far From Alaska Festival Festival Soterorock Filipe Catto Free?Gobar Fresno Fridha Funcionaface Game Over Riverside Giovani Cidreira HAO Heavy Lero Hellbenders Ifá Incubadora Sonora Ingrena Invena Inventura Irmão Carlos Ironbound Jack Doido Jackeds Jadsa Castro Jardim do Silêncio Jato Invisível Kalmia Kazagastão KZG Lançamentos Latromodem Leandro Pessoa Lee Ranaldo Limbo Lírio Lívia Nery Lo Han Locomotiva Mad Monkees Madame Rivera Mais uma Cara do Rock Baiano MAPA Marcia Castro Maria Bacana Maus Elementos Messias Metá Metá Modus Operandi Mopho Motherfucker Mulheres Q Dizem Sim Murilo Sá Nalini Vasconcelos Neurática Not Names Novelta O Quadro O Terno Old Stove Olhos Para o Infinito Órbita Móbile Organoclorados Os Canalhas Os Elefantes Elegantes Os Jonsóns Os Tios Overfuzz Ozzmond palco do rock Pancreas Pastel de Miolos Paul McCartney Pesadelo Pio Lobato Pirombeira Pitty Portal Pós-punk Prime Squad Programas Quadrinhos Quartabê Radioca Raimundo Sodré Rattle Resenha de discos Resenha do cd Resenhas Reverendo T Reverento T Rincon Sapiencia Rivermann Rock Rock Baiano Rock Baiano em Alta Rock de camaçari Ronco Scambo Show Shows Shows. Cascadura Siba Singles Soft Porn Som do Som Sons que Ecoam Soterorock Squadro Subaquático Super Amarelo Surrmenage Tangente Teenage Buzz Tentrio Test The Baggios The Cross The Honkers The Pivos Theatro de Seraphin Thrunda Titãs Tony Lopes Tsunami Universo Variante Úteros em Fúria Vamoz! Van der Vous Vende-$e Vivendo do Ócio Wado Wander Wildner Weise Wry

Matérias

Antigas

Mais Populares

Resenhas