Pular para o conteúdo principal

"O DIABO É O PAI DO ROCK" JÁ DIZIA RAULZITO



Seremos perseguidos igual aos vampiros nos filmes de ficção/horror? Somos os culpados dos males do mundo? Teremos que nos esconder durante o dia e sair só a noite para se alimentar de ruídos vindos das catacumbas do inferno? Pois bem, veja o absurdo e depois tenha um infarto de tanto rir, mas antes peça perdão a Deus, pois o inferno poderá ser a sua ultima morada!

Evangélicos prometem acabar com o rock até o fim do semestre

Foi realizada na manhã desta terça-feira (8) no município de Andradina, interior de Mato Grosso do Sul, uma mobilização por parte da comunidade evangélica visando coibir na região o estilo musical, segundo eles, ofensivo e pesado demais. Os manifestantes se reuniram em frente à prefeitura para que o movimento fosse reconhecido.
O pastor Evandro, organizador da mobilização, alega que com a coibição do estilo musical na cidade, o índice de violência irá cair. “A maioria dos casos registrados de violência aqui são em shows de rock e nós entendemos que isso não é saudável para os jovens como é, por exemplo, a música gospel”, afirma o pastor.
A proposta é impedir que aconteçam festivais de música na região e gradualmente, segundo Evandro, intimidar que novas bandas surjam. “O rock nunca adicionou nada para essa cidade e faz parte do plano de Cristo que ele não exista mais aqui”, diz o pastor. Uma revolta nas redes sociais aconteceu por conta dessa atitude e cerca de 500 jovens do município estão organizando uma mobilização para mostrar que estilo musical não define caráter. “Tanto o rock como qualquer outro tipo de música representa a cultura de uma região e o que ele que fazer é uma espécie de ditadura”, afirma André Souto, vocalista e guitarrista de uma renomada banda na região.

Popular Posts

O melhor do que eu não escrevi no Portal Soterorock em 2018. Por Leo Cima.

Neste ano de 2018 o Portal Soterorock resolveu tirar alguns dias de folga. Algo próximo a trezentos e sessenta e cinco dias, quase um ano, é verdade. Porém, é fato que, depois de dez anos cobrindo a cena roqueira local, com textos ou podcasts, sem incentivo financeiro algum, o site decidiu que seria o momento certo para dar um tempinho nas atividades daqui, para priorizar e atender a outras demandas não menos importantes. Mas, mesmo distante das publicações, nos mantivemos atentos ao movimento do cenário, observando quem se manteve atuante, seja em estúdio, ou nos palcos.
Muita coisa aconteceu este ano na cena rocker da Bahia, desde discos lançados até uma boa frequência regular de shows na capital baiana, mesmo com um número cada vez menor de casas que recebe o gênero por aqui. E é esse segundo item que ganhará destaque aqui nesta matéria, em uma outra oportunidade falarei sobres os lançamentos baianos de 2018, vamos com calma. O fato é que, fazendo visitas a eventos, seja como um pag…

“As Dez Caras do Rock Baiano” com Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute)

Chegando ao final da sua primeira fase, a série “As Dez Caras do Rock Baiano” traz em sua quinta entrevista uma das grandes personalidades já presente na cena local há muitos anos: o vocalista da The Honkers, Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute, como preferir). Nessa conversa, que foi uma das mais longas e intrigantes dessa série e realizada na época da volta da banda aos palcos soteropolitanos, Rodrigo falou sobre o que chama a sua atenção no cenário, o cuidado que um artista têm que tomar com a sua própria arte, como a quantidade de informação influencia no jeito raso de ser do novo roqueiro e sobre as intenções para o futuro da The Honkers, além de se mostrar como um autor de livros de auto ajuda em potencial. Você já sabe, se ajeite com firmeza na cadeira e embarque nessa entrevista dessa grande figura do rock da Bahia. 
SRP - Como foi ficar um ano longe da The Honkers? 

Rodrigo Chagas - Zorra... Normal, hehe. Cansei na sétima música. 

SRP – O que achou do retorno da The Honkers aos pa…

Série “As DEZ Caras do Rock Baiano” - Com Caroline Lima, (Voz na Chá de Pensamentos), apresentando "Kansu" o seu mais novo projeto!

A série “As 10 Caras do Rock Baiano” traz desta vez Caroline Lima, integrante do projeto experimental de música e arte Kansu Project , duo que conta também com Sérgio da Mata dividindo as composições. Na última quinta feira (28/03/2013), ás 22:30, foi lançado na página da Kansu Project no facebook o remix de “A Little Bit of Me”, seu primeiro single e, nesse ótimo papo descontraído e espontâneo, Caroline nos falou sobre o interessante processo de produção e gravação das músicas da dupla, suas influências e suas impressões sobre a cena local. Então se ajeite em sua cadeira, aproveite a entrevista, dê um curtir na página do grupo e “FEEL FREE”. 
SRP – O que é a Kansu Project, é um duo? E o que sgnifica? 
Caroline Lima - É um duo sim. Sou eu e Sergio da Mata, meu amigo de adolescência. Sobre o significado... foi a junção dos nomes de personagens de livros que escrevemos em 2002, também é o nome de uma província da China e o nome deriva desse idioma...alguns traduzem como "orquídea&quo…