Pular para o conteúdo principal

Les Royales: Banda de "Rockabilly" baiana trás de volta as raízes do rock


Ainda não consegui pegar um show da banda ao vivo, mas quem foi garante que a diversão é garantida ao som da banda LES ROYALES". Formada 100% de rockabilly, gênero que deu sua fôrma ao rock e o moldou até os dias de hoje, do mais simples ao mais pesado. A banda LES ROYALES trás isso de volta em seu quarteto com músicos mais que conhecidos e que dispensa apresentações. Músicos integrantes como Morotó Slim (Ex-Dead Billies e Retrofoguetes) que coloca suas guitarras marcantes e bem tocadas nas canções. 
Sobre a banda: O Les Royales é uma banda de Rockabilly de Salvador-BA, fundada em 2011. Com um trabalho cuidadoso de curadoria e arranjo, a banda apresenta um repertório 1950 que conta com canções de Eddie Cochran, Gene Vincent, Buddy Holly, Elvis Presley, Carl Perkins, Johnny Cash, Billy Riley, Warren Smith e Carl Mann. Como toda exceção à regra, o setlist também conta com músicas dos Stray Cats. Aos desavisados, um detalhe: não esperem a doçura das baladinhas tão comuns aos anos dourados. Les Royales é puro rock’n’roll. Uma coisa bem mais próxima do selvagem Johnny Cash do que da lady Cely Campelo. 

Próximos shows: Casa Fora do Eixo Vitória da Conquista - BA, Avenida Rosa Cruz, 928 - Candeias. A abertura fica por conta de Willie Wolf & The Surfin' Joes e a discotecagem do experiente Dj BigBross (Salvador). A entrada custa R$10, mas se vc colocar o nome na lista amiga para apenas R$ 5, bastando preencher o formulário: Clique Aqui! 

Popular Posts

Discoteca Básica Soterorock Apresenta: Entre 4 Paredes

Dando continuidade na nossa maratona especial da quarta edição do Soterorock Sessions, aqui vai mais uma postagem da série Discoteca Básica Soterorock Apresenta. Dessa vez, trazendo mais uma atração do nosso evento, a banda Entre 4 Paredes. Com diversas influências musicais, que vão do pop rock, até o post punk, passando pelo rock nacional e o gótico, o sexteto traz para essa matéria bons sons que merecem uma audição mais atenta e, junto a eles, as suas relações com cada um desses discos. Pegue carona nas dicas do grupo e deguste cada segundo musical dessa lista!
David Vertigo (tecladista)
Suicide - Suicide


O disco que inventou o cyberpunk antes dele existir. O trabalho de estreia homônino da dupla Suicide (Alan Vega nos vocais e Martin Rev no sintetizador) mostra da forma mais crua possível o que bandas de Industrial, EBM e afins só exibiriam décadas mais tarde:  niilismo, subversão, falta de esperança, ódio, inconformismo... Com timbres minimalistas, baterias repetitivas, vocais nonse…

Todo dia é dia de rock. Por Leo Cima.

Aconteceu, no final de semana em que se celebrou o dia mundial do rock, o festival Rock Concha 2019. Evento que, neste ano, comemorou trinta anos da sua primeira edição. Houve um hiato de um pouco mais de vinte anos nas suas atividades, porém, há quase uma década, a festa vem acontecendo de maneira assídua a cada ano e já pode ser considerada como certa no calendário cultural da cidade.
Para esta ocasião, a produção do evento apostou em um lineup que propôs fugir de repetir nomes escalados nos anos anteriores, se mantendo atrativo neste sentido e oferecendo ao seu público bandas relevantes na cena nacional e local, com algumas delas há bastante tempo sem vir à Salvador, outras lançando trabalho novo, ou comemorando décadas de estrada. A falta de roadies durante algumas apresentações foi percebida em dois momentos, nos shows da Drearylands e da Alquímea, mas nada que comprometesse o desempenho de ambas no palco!
No sábado, quem abriu o evento foi a Drearylands. Comemorando vinte anos …

As 10 Caras do Rock Baiano” com Paulo Diniz (Banda Weise)

A penúltima entrevista da série “As 10 Caras do Rock Baiano” traz Paulo Diniz, vocalista e guitarrista da banda Weise. O grupo está lançando o seu mais novo trabalho, o cd intitulado “Aquele Que Superou o Fim dos Tempos”, e neste papo o entrevistado falou sobre o seu processo de gravação, sobre seus shows e as dinâmicas dos seus instrumentos no palco e também sobre as suas impressões da cena baiana de rock. Para não perder o costume, ajeite-se na cadeira e aproveite o papo com o rapaz. 
SoteroRockPolitano - É o segundo disco de vocês, certo? O que mudou no som da Weise desde o seu primeiro disco até esse último que está sendo lançado?  Paulo Diniz - Na verdade nós lançamos até agora somente EPs, que foi o "Fora do Céu", depois um outro que não tinha nome, e o terceiro que era uma previa de duas músicas do álbum que vamos lançar agora...