Pular para o conteúdo principal

O retrospecto do que passou por aqui em 2013

O ano de 2013 foi movimentado para o cenário local, com bandas lançando seus trabalhos e, consequentemente, fazendo shows que esquentaram as noites soteropolitanas. Muitas delas passaram pelo Portal Soterorockpolitano sendo citadas por conta das apresentações que fizeram, por conta das entrevistas que nos concederam e também pelo fato de expor por aqui as suas gravações. A seguir, tentaremos, com um breve resumo, mostrar os grupos e artistas que tiveram seus trabalhos lançados ou que tiveram uma projeção significativa no cenário nesse ano...

Kansu Project

            Duo de eletro-rock formado pelo Sérgio DaMatta e pela Caroline Lima. Eles misturam ao seu som elementos da música do mundo, como a celta e a árabe, a essência da musica pop e surrealismo. Todos esses elementos são processados nas nuvens, com a Caroline aqui em Salvador e o Sérgio em São Paulo e, em menos de um ano, eles já atingiram a incrível marca de mais de 27 mil plays de seus singles na sua página do Soundcloud. Não sabia? Duvída? Então clique aqui para conferir!

André L. R. Mendes
            O cantor e compositor baiano lançou nesse ano um dos discos mais bem recepcionados pela crítica especializada, o terceiro álbum da sua carreira solo: “Amor Atlântico”. Com canções intimistas e objetivas, o disco traz um clima de fim de tarde ensolarada e refrescada por uma leve chuva e bem propício a um momento a dois. Boa parte das músicas já ganharam vídeos que foram produzidos e dirigidos pelo próprio André L. R. Mendes. Ele já trabalha em um novo cd. Acesse o site do rapaz e conheça seus outros trabalhos.


Vômitos
            Depois do vídeo da música “Facada” ter bombado no Youtube com mais de 4 mil visualizações no ano de 2012, banda de punk rock da cidade de Barreiras lançou nesse ano que passou o seu registro ao vivo, o “Ao Vivo na Noite do Horror”. O disco traz o repertório mais recente da banda, que foi fincado no seu último disco de estúdio, o “Punk Rock Pra Mendigo”. Caso você não more na cidade dos rapazes, esse é de fato uma boa forma de conhecer o som dos caras em ação. Nesse link há o download da obra.


Pastel de Miolos
            Em 2013 a PDM não lançou material inédito, mas em compensação teve um ano muito produtivo, tocando em festivais tradicionais do circuito underground nacional (Porão do Rock, DF), fazendo shows agitadíssimos pela Bahia e ganhando um dos tributos mais interessantes já lançado. Idealizado pelo Tony Lopes e intitulado “Eu Não Quero Ser O Que Você Quer”, o tributo traz uma mistura de estilos musicais, das mais diversas vertentes e que dão novas e diferentes roupagens para as canções da Pastel de Miolos. É possível conseguir o seu com os próprios rapazes da banda. Link!

ExoEsqueleto
            Formada por veteranos do cenário soteropolitano, a banda ExoEsqueleto lançou o seu disco de estreia com a felicidade de conseguir equilibrar o rock, a black music e o regionalismo nas suas canções. “Exo Sessions” tem um caráter intimista e cheio de personalidade, pegada bem groovada com ótima cozinha e ótimos solos de guitarra. É uma das bandas que merecem uma atenção especial para quem gosta das referencias citadas. Para conhecer mais o grupo, é só acessar e curtir a sua fanpage.


Van Der Vous
            Há muito tempo Salvador não via uma banda como essa. O som da Van Der Vous é influenciado pela música psicodélica inglesa dos anos sessenta e cantado em inglês. “High”, primeiro single do grupo lançado em 2013, contém duas canções que podem levar o ouvinte a lugares agradáveis e ao mesmo tempo surreais. De tão bom, os rapazes deixaram um gosto de “quero mais” por ter lançado somente este single e uma boa expectativa pelo que virá. Experimente a música deles nesse link


Os Jonsóns
            Quarteto competente e disciplinado. Fazem um rock para frente e sem firulas desnecessárias, influenciado por rock sessentista e pitadas garageiras, com um bom humor nas letras e também certeiro nas escolhas dos covers que são tocados nos seus shows. As apresentações, cada vez mais cheias, não deixam dúvidas de que a banda está muito mais entrosada e divertida. Conheça um pouco mais d’Os Jonsóns acessando a sua fanpage no Facebook.

Teenage Buzz
            A Teenage Buzz foi uma das boas novidades do cenário rocker baiano. Com um som de fortes influências de Pink Floyd na fase Syd Barrett, britpop da década de 1990 e cantando em inglês os rapazes esquentaram as noites de muita gente em Salvador e região metropolitana. As apresentações, sempre agitadas, fazem lembrar que o rock nunca envelhece e que a The Honkers anda fazendo escola. A música “Can’t Try The Summer” é uma canção com potencial para ser mais do que um hit de verão. Conheça essa e mais outras músicas do seu primeiro EP, “Buzzin’ Around”, em sua página do Soundcloud.

Modus Operandi       
            Uma das principais bandas do cenário baiano nos concedeu uma das entrevistas mais divertidas e interessantes que já foram feitas pelo Portal Soterorockpolitano. David Giassi (vocalista e tecladista) pôde falar sobre como é fazer rock na Bahia e como conseguir se firmar por longos anos na cena rocker daqui. Uma banda de características únicas e que merece atenção mais do que especial. Eles já estão confirmados para o 7° Subterrâneo Gothic Rave, em Campina Grande-PB, e esperamos ver mais sons da Modus Operandi por aqui.

Rattle
            Outra banda que merece destaque e que também tivemos a oportunidade de entrevistar no portal. O seu vocalista, Val Oliveira, pôde se colocar sobre as condições em que se encontra o cenário metaleiro em nível regional e nacional, e de também falar um pouco sobre a trajetória da Rattle, que está em processo de gravação do seu primeiro disco full lenght que será lançado neste ano pela Shinigami Records. A Rattle tem postado vídeos no seu blog com o “work in progress” das gravações. Vale a penaconferir!

Weise
            Aos 40 minutos do segundo tempo, eis que surge a Weise com um dos melhores discos lançados no cenário underground neste ano que passou. Já veteranos na cena baiana, os rapazes da Weise mostraram amadurecimento na sua música e uma quantidade maior de influências no seu trabalho. As músicas de “Aquele Que Superou O Fim Dos Tempos” são objetivas e trazem surpresas, com certeza é uma obra que será celebrada nesse ano de 2014. Se ainda não escutou acesse logo esse link


Invena
            Aos 46 minutos do segundo tempo, a Invena resurge com o lançamento do seu disco homônimo para justamente marcar seu retorno aos palcos da cidade. Desde a metade do ano, a banda vem fazendo apresentações no Largo do Carmo, no Santo Antonio, em ações multiculturais com o artista plástico Leonel Mattos. O disco é uma boa mostra do que os rapazes fazem há anos e que agora está mais acessível ao público de bom gosto do rock. Na fanpage da banda você pode acompanhar os passos do ativo retorno da Invena. Veja!




Popular Posts

Marte caindo e aliens entre nós. Por Leonardo Cima.

No sábado do dia 25/01, a banda Marte em Queda lançou o seu trabalho de estreia e esse foi o momento para conferir de perto não só uma, mas duas das bandas que estão mais em alta atividade na cena daqui nesse último ano e meio. O segundo grupo em questão é o My Friend is a Gray, parceiros de jornada do trio baiano e que abriu a noite de som no já marcante Brooklyn Pub Criativo. Com o local sempre pontual no inicio dos sons, comecei a acompanhar a festa pela live do perfil do pub no Instagram no caminho para lá, o que me deixou mais ansioso em chegar e percebendo, já in loco, o quanto não deu para ter, pelo vídeo, a noção de quanta gente compareceu ao evento. É comum o lugar receber uma boa quantidade de gente nas noites de sábado, mas logo de cara, um grupo de pessoas que se aglomerava na parede de vidro do seu lado de fora, para assistir ao som, chamou a atenção. Meio que em zig zag e  me espremendo, adentrei no Brooklyn e a MFIAG, escalada para abrir a noite, já estava

Sexto guia de singles de bandas baianas. Por Leonardo Cima.

Mais uma vez o Portal SoteroRock traz a sua lista de singles de bandas e artistas baianos, lançados ao longo desse período pandêmico no qual nos encontramos neste 2020. Para essa ocasião, a diversidade ainda marca uma forte presença nessa seleta. Rock, pop, metal, eletrônico, folk e o grande leque que se abre a partir desses gêneros vão aparecer para você aqui enquanto faz a sua leitura. Então, abra a sua mente, saiba um pouco sobre cada um dos trabalhos citados aqui, siga cada um nas redes sociais (se possível, é claro!) e, óbvio, escute as canções!! Se você acha que faltou algum artista/banda aqui nessa matéria, mande uma mensagem inbox pelo nosso perfil do Instagram, que iremos escutar! Midorii Kido - Sou o que Sou Para quem acha que o rock já se esgotou em termos de abraçar minorias e até mesmo acredita que é conservador, este primeiro single da drag queen Midorii Kido é um tapa na face daqueles que professam dessa maneira contra o gênero. Sou o que Sou é um rock forte,

O garage noir da The Futchers. Por Leonardo Cima.

Nesses últimos dois meses, o selo SoteroRec teve a honra e a felicidade de lançar na sua série Retro Rocks, os trabalhos de uma das bandas mais interessantes que a cena local já teve e que, infelizmente, não teve uma projeção devidamente extensa. Capitaneada por Rodrigo "Sputter" Chagas (vocal da The Honkers), a The Futchers foi a sua banda paralela idealizada e montada por ele próprio no final do ano de 2006. A propósito, o nome Futchers vem inspirado da dislexia do compositor britânico Billy Childish, que escreve as palavras da mesma maneira que as fala. Ele, ao lado de mais quatro integrantes, também de bandas locais da época, começaram os ensaios com uma proposta sonora voltada mais para o mood e o garage rock, se distanciando um pouco dos seus respectivos trabalhos nos grupos anteriores. Relembrando um pouco daquele período e como observador, esse "peso" de não ter que se repetir musicalmente recaía um pouco mais sobre Rodrigo. Não que houvesse isso