Pular para o conteúdo principal

Os destaques de 2014 no Portal Soterorockpolitano.



            Mais um ano chegou ao fim e mais uma vez o Portal Soterorockpolitano faz um balanço do que de melhor aconteceu nesses últimos doze meses na cena local. Um pouco diferente da nossa matéria referente aos nossos destaques do ano passado, a nossa lista dessa vez foi dividida em três categorias: Bandas Revelação, Melhor Álbum/EP e Melhor Show. 2014 foi agitado para o cenário roqueiro baiano com ótimas bandas surgindo, artistas e grupos lançando ótimos trabalhos e com apresentações que valeram (para o bem ou para o mal) cada centavo daquele que se dispôs a ir aos shows dos conjuntos locais. Então, deixando a conversa de lado, vamos ao que interessa!

BANDAS REVELAÇÃO (Entrevistamos 60 Ouvintes)

1° Van der Vous – 27 pontos

Com um som psicodélico misturado a várias referencias que vão do britpop ao grunge, a Van der Vous encabeça essa categoria não só pela sua mistura musical lisérgica bem equilibrada, mas também pelo seu empenho na cena. A expectativa sobre os rapazes já pairava pela atmosfera soteropolitana há um pouco mais de um ano e eles não decepcionaram.




2° Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes – 24 pontos

Banda formada por integrantes da Trônica e da Tentrio, o duo vindo diretamente da cidade baixa surpreendeu com um rock pesado e fortemente influenciado pelo blues. Com os vocais assumidos pelo baterista e com timbres pesados de guitarra, a música da BVOE chega aos ouvidos como verdadeiros tanques de guerra de mira certeira, avançando sobre o território inimigo.


3° The Pivos – 21,9 pontos

Perfomance de palco define bem esses caras de camaçari que teve o seu  trabalho divulgado pela Brecho discos, selo que sempre apresenta pra gente grandes bandas. A banda surge como uma surpresa boa nessa lista, firmando mais uma vez a força do rock de Camaça! Let's Rock Wilson! Yeah! 




4° Rivermann – 19 pontos

Da cidade de Camaçari veio uma das boas novidades da cena local. Com um som influenciado pelo indie noventista, a Rivermann se destacou em meio a um grande número de bandas da região metropolitana se Salvador e é mais uma outra prova de que o rock também está ativo nas terras além das fronteiras da capital baiana.





Melhor Álbum/EP (Entrevistamos 70 ouvintes)

1° La Fuga, da Van der Vous – 29 pontos

Já bem aguardado pelo cenário local e pela equipe do Portal Soterorockpolitano, o disco de estreia da Van der Vous, “La Fuga”, surgiu primoroso e equilibrado, sintetizando de forma lúcida as várias influências da banda. Há muito tempo não se via por essas terras um grupo com uma pegada mais psicodélica, cantando em inglês e cuidadoso com seu trabalho. É um disco merecedor de avançar fronteiras.



2° Marte, da Declinium – 28 pontos

Com certeza, um dos melhores discos/EP’s de 2014 foi “Marte”. Com uma bagagem musical de anos de estrada, a Declinium fez um trabalho inspiradíssimo, batendo certo no âmago melancólico da alma e do coração de quem aprecia o seu som. Com “Marte” a tristeza pode ser algo bom, além de funcionar muito bem como uma boa trilha sonora no passeio pelo planeta vermelho.



3° Azul Profundo,do Reverendo T e os Discípulos Discrentes – 27 pontos

Intenso, verdadeiro, sussurrado e profundo. É nessa pegada que surgiu o mais recente trabalho do Reverendo T e os Discípulos Descrentes! Mais orgânico que o anterior, o “Azul Profundo” tem uma veia musical mais blues e mais rock setentista, conseguindo mesclar uma atmosfera interessante com o que há de melhor nesses dois estilos. Ótima investida do Tony Lopes. Creia!


4° Surpresa, da Callangazoo – 26 pontos

Seguindo o reverendo, chega na lista a banda Callangazoo com seu rock ensolarado e de guitarras swingadas. “Surpresa” é o disco que fecha a trilogia de EP’            s da banda e atesta a boa qualidade do grupo, que é um dos mais ativos do cenário local. São três canções animadas e prontas para tocar no seu mp3 player neste verão, “Tereza Surpresa” é uma delas.



5° Epgrafia Completa, d’Os Jonsóns – 24 pontos

Esperado disco de um dos grupos que mais se destacou nesse ano, dentro e fora da Bahia. O “Epgrafia Completa”, como o nome já sugere, é uma compilação dos três EP’s que os rapazes lançaram ao longo de dois anos de carreira e é um prato cheio para quem gosta de rock gaucho e de letras bem humoradas e/ou excêntricas.




6° Rivermann, da Rivermann – 23 pontos

A Rivermann aparece aqui com o seu primeiro EP da carreira. Mais uma banda da região metropolitana de Salvador, é também mais uma que dialoga bem com o indie rock norte-americano noventista e com letras que tratam sobre relacionamentos e melancolia. É bom retrato musical em um fina de tarde em uma cidade fora da capital.




7° Surf Budismo, de André L. R. Mendes – 21 pontos

Mais recente trabalho deste cantor e compositor baiano. Neste quarto disco da sua carreira solo, André optou por registrar suas belas canções sozinho, gravando e produzindo todo o trabalho em seu Ipad, exatamente com o espírito do “faça você mesmo”, sendo este transportado para os dias atuais. Como em uma nova linguagem do punk, sem ser punk!



8° O Padre me Estuprou, da Vomitos – 20 pontos

Já no rastro mais tradicional do “faça você mesmo”, a banda de Barreiras fez mais um disco vigoroso e divertido de punk rock, com um método de gravação livre das amarras de esquemas de gravadoras, ou selos. O disco foi gravado ao vivo, na própria casa do seu guitarrista, flertaram com o metal e isso tudo sem gastar um tostão sequer. O oeste baiano vai ficar pequeno para esses caras!



9° Invena, da Invena – 19 pontos

Os veteranos da cidade baixa reativaram a banda no finalzinho do ano de 2013 e tiveram um 2014 cheio com a divulgação do seu disco homônimo. Bem produzido, com canções de apelo pop forte e bons timbres de guitarra o disco ajudou o grupo a tocar nos quatro cantos dessa cidade e ainda ajudou a promover o trabalho do artista Leonel Mattos.



10° Latromodem, de Latromodem – 19 pontos

A banda ressurge depois de um tempo sem gravar. Sob o comando de Andre Virgo a banda ainda deixa a sua marca forte nas raizes do pos punk/gotico/industrial e com certeza um dos melhores registros da banda.





Melhor show (Entrevistamos 50 ouvintes)

1° Van der Vous – 20 pontos

Com certeza um dos melhores shows deste ano que passou. Reproduzir um disco inteiro com fidelidade em cima do palco não é uma tarefa fácil para muitos artistas e o que eles fazem ao vivo é digno de contemplação. Se você viu uma vez, vai querer ver novamente e não vai se arrepender de sentir o virtuosismo e a presença de palco dos rapazes. Não é a toa que eles aparecem nas três categorias.


2° Desrroche – 20 pontos

Também um dos grandes shows de 2014. A apresentação do grupo é um verdadeiro espetáculo que transporta o público para um outro lugar, usando pirotecnia, maquiagem estilizada, figurino impecável e, principalmente, um som forte e impactante. Visualmente, e sem deixar de contemplar todos os outros sentidos, é um show de cair o queixo. Mereciam tocar mais vezes na cidade.

3° Modus Operandi – 18 pontos

 Uma banda de que deixa feliz quando toca seu rock industrial original e sem espaço para copias. Uma das bandas mais antigas e atuantes da nossa cena merece aparecer aqui nessa seletiva muitas e muitas vezes, vida longa!


4° Os Jonsóns – 18 pontos

O que mais foi feito por essa banda em 2014, foi se apresentar. Ao longo destes doze meses Os Jonsóns tocaram na capital, no interior e em outros estados nordestinos, alem de obter como consequência uma boa experiência de palco, o “timing” certo para as suas músicas ao vivo e ótimas conexões com outras bandas. A estrada fez muito bem para o grupo.




5° Declinium – 17 pontos

 A melhor banda de rock triste do mundo vive na Bahia. Espero muitos outros shows dos caras para podermos contemplar o som indie rock dos rapazes de camaçari. 



6° Invena – 10 pontos

Mais uma banda que se apresentou bastante no último ano. Bons músicos, bem servida de ótimos guitarristas e um vocalista com boa presença de palco são aspectos que fizeram da Invena uma banda com um púbico cativo, fiel e diverso. O volume de covers no seu repertório aparece de forma demasiada, mas não é nada que preocupe, desde que todos se divirtam na noite.


Popular Posts

Marte caindo e aliens entre nós. Por Leonardo Cima.

No sábado do dia 25/01, a banda Marte em Queda lançou o seu trabalho de estreia e esse foi o momento para conferir de perto não só uma, mas duas das bandas que estão mais em alta atividade na cena daqui nesse último ano e meio. O segundo grupo em questão é o My Friend is a Gray, parceiros de jornada do trio baiano e que abriu a noite de som no já marcante Brooklyn Pub Criativo. Com o local sempre pontual no inicio dos sons, comecei a acompanhar a festa pela live do perfil do pub no Instagram no caminho para lá, o que me deixou mais ansioso em chegar e percebendo, já in loco, o quanto não deu para ter, pelo vídeo, a noção de quanta gente compareceu ao evento. É comum o lugar receber uma boa quantidade de gente nas noites de sábado, mas logo de cara, um grupo de pessoas que se aglomerava na parede de vidro do seu lado de fora, para assistir ao som, chamou a atenção. Meio que em zig zag e  me espremendo, adentrei no Brooklyn e a MFIAG, escalada para abrir a noite, já estava

Sexto guia de singles de bandas baianas. Por Leonardo Cima.

Mais uma vez o Portal SoteroRock traz a sua lista de singles de bandas e artistas baianos, lançados ao longo desse período pandêmico no qual nos encontramos neste 2020. Para essa ocasião, a diversidade ainda marca uma forte presença nessa seleta. Rock, pop, metal, eletrônico, folk e o grande leque que se abre a partir desses gêneros vão aparecer para você aqui enquanto faz a sua leitura. Então, abra a sua mente, saiba um pouco sobre cada um dos trabalhos citados aqui, siga cada um nas redes sociais (se possível, é claro!) e, óbvio, escute as canções!! Se você acha que faltou algum artista/banda aqui nessa matéria, mande uma mensagem inbox pelo nosso perfil do Instagram, que iremos escutar! Midorii Kido - Sou o que Sou Para quem acha que o rock já se esgotou em termos de abraçar minorias e até mesmo acredita que é conservador, este primeiro single da drag queen Midorii Kido é um tapa na face daqueles que professam dessa maneira contra o gênero. Sou o que Sou é um rock forte,

O garage noir da The Futchers. Por Leonardo Cima.

Nesses últimos dois meses, o selo SoteroRec teve a honra e a felicidade de lançar na sua série Retro Rocks, os trabalhos de uma das bandas mais interessantes que a cena local já teve e que, infelizmente, não teve uma projeção devidamente extensa. Capitaneada por Rodrigo "Sputter" Chagas (vocal da The Honkers), a The Futchers foi a sua banda paralela idealizada e montada por ele próprio no final do ano de 2006. A propósito, o nome Futchers vem inspirado da dislexia do compositor britânico Billy Childish, que escreve as palavras da mesma maneira que as fala. Ele, ao lado de mais quatro integrantes, também de bandas locais da época, começaram os ensaios com uma proposta sonora voltada mais para o mood e o garage rock, se distanciando um pouco dos seus respectivos trabalhos nos grupos anteriores. Relembrando um pouco daquele período e como observador, esse "peso" de não ter que se repetir musicalmente recaía um pouco mais sobre Rodrigo. Não que houvesse isso