Pular para o conteúdo principal

Apresentações animalescas e momentos inspirados.*


            Sábado ainda teve rock na cidade de Salvador com bandas de fora da cidade e lançamento de disco em um mesmo evento. O Portal Soterorock não poderia ficar de fora e rumou para o Dubliners Irish Pub para conferir as apresentações dos grupos Silver Haze, Aphorism, Buster, Ingrena (DF) e Chuva Negra (SP). A quantidade de pessoas já no aguardo pelo inicio das apresentações chamou a atenção. Muita gente compareceu para ver os conjuntos e enquanto start não era dado, conversas e mais conversas ajudavam a passar o tempo.

            Terminada a espera, a primeira banda a subir no palco foi a Silver Haze. Entrando na grade de bandas de ultíssima hora o trio aqueceu as PA's para um Irish Pub ainda vazio do lado de dentro, tocando um hard core californiano de canções próprias por vezes alternadas por covers. O público já chegava timidamente para vê-los tocar, porém, com menos de trinta minutos de show, o grupo executou seu rápido repertório. A segunda a se apresentar foi a Aphorism, que fez o show do lançamento oficial do seu segundo cd, Exercícios de Insubmissão. A banda ao vivo impressiona, e muito. O grupo é bem entrosado com instrumentistas que não titubeiam, um vocalista furioso e incansável, e um baterista preciso e bastante afortunado nas investidas em seu instrumento. O som dos caras é uma parede sonora imponente bem definida, que vai do crust ao death, passando pelo sludge, e que atraiu muita gente que estava do lado de fora para dentro do lugar e acabou ganhando aplausos calorosos no final. Essa foi uma das melhores apresentações já vistas pelo Portal Soterorock nesse ano. Se você ainda não os viu ao vivo, não perca a próxima oportunidade.

            Na sequencia se apresentou a veterana Buster, tocando seu punk rock californiano com pitadas leves de hard rock e cantado em inglês. Eles tiveram alguns problemas técnicos que atrapalharam o andamento do inicio da apresentação, mas que foi logo contornado. A experiencia da banda aliada ao bom humor do vocalista ajudaram bastante na performance do conjunto e terminaram o show empolgando quem ficou atento aos rapazes. Tudo isso em trinta minutos. Direto de Brasília e pela primeira vez em Salvador, a Ingrena derramou seu punk rock crossover pelo pub. A banda estava empolgada e com muita energia, instigando a platéia o tempo todo sem parar e sem perder o fôlego. Não houve trégua nem mesmo nas considerações do vocalista entre as músicas, onde a sua respiração ofegante entregava o seu entusiasmo. Ainda teve espaço para uma citação de Uma Teoria Duvidosa, da FuncionaFace. A apresentação poderia durar um pouco mais. "Esqueça a Maçã"!

            Encerrando a noite, os paulistanos da Chuva Negra subiram ao palco e tocaram seu hard core melódico para algumas pessoas que ainda estavam presentes na casa. É claro que não era mais a mesma quantidade de gente do inicio do evento, pois já eram quase três da manhã, mas tinha o suficiente para publico e banda se divertirem um com o outro dentro do bom show dos rapazes. A banda enfrentou com muito bom humor alguns problemas técnicos no decorrer da apresentação e que estavam sendo contornados pelo técnico de som do espaço. Sem cansaço, o som foi tocado com vontade e agradou quem ficou para assistir.

            Terminadas as apresentações, entre uma conversa e outra, ainda teve espaço para um momento inspirado do projeto FuncionaFace, que criou uma nova musica-poesia-filosofia-questionamento-existencialista, inspirada em Robocop, presente (nos vários sentidos da palavra), Presença de Anita, Ana Paula Arósio e Fernanda Montenegro. Agora é só aguardar o vídeo viralizar na internet.


*Matéria originalmente publicada em 01/10/2015.

Popular Posts

O melhor do que eu não escrevi no Portal Soterorock em 2018. Por Leo Cima.

Neste ano de 2018 o Portal Soterorock resolveu tirar alguns dias de folga. Algo próximo a trezentos e sessenta e cinco dias, quase um ano, é verdade. Porém, é fato que, depois de dez anos cobrindo a cena roqueira local, com textos ou podcasts, sem incentivo financeiro algum, o site decidiu que seria o momento certo para dar um tempinho nas atividades daqui, para priorizar e atender a outras demandas não menos importantes. Mas, mesmo distante das publicações, nos mantivemos atentos ao movimento do cenário, observando quem se manteve atuante, seja em estúdio, ou nos palcos.
Muita coisa aconteceu este ano na cena rocker da Bahia, desde discos lançados até uma boa frequência regular de shows na capital baiana, mesmo com um número cada vez menor de casas que recebe o gênero por aqui. E é esse segundo item que ganhará destaque aqui nesta matéria, em uma outra oportunidade falarei sobres os lançamentos baianos de 2018, vamos com calma. O fato é que, fazendo visitas a eventos, seja como um pag…

“As Dez Caras do Rock Baiano” com Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute)

Chegando ao final da sua primeira fase, a série “As Dez Caras do Rock Baiano” traz em sua quinta entrevista uma das grandes personalidades já presente na cena local há muitos anos: o vocalista da The Honkers, Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute, como preferir). Nessa conversa, que foi uma das mais longas e intrigantes dessa série e realizada na época da volta da banda aos palcos soteropolitanos, Rodrigo falou sobre o que chama a sua atenção no cenário, o cuidado que um artista têm que tomar com a sua própria arte, como a quantidade de informação influencia no jeito raso de ser do novo roqueiro e sobre as intenções para o futuro da The Honkers, além de se mostrar como um autor de livros de auto ajuda em potencial. Você já sabe, se ajeite com firmeza na cadeira e embarque nessa entrevista dessa grande figura do rock da Bahia. 
SRP - Como foi ficar um ano longe da The Honkers? 

Rodrigo Chagas - Zorra... Normal, hehe. Cansei na sétima música. 

SRP – O que achou do retorno da The Honkers aos pa…

Série “As DEZ Caras do Rock Baiano” - Com Caroline Lima, (Voz na Chá de Pensamentos), apresentando "Kansu" o seu mais novo projeto!

A série “As 10 Caras do Rock Baiano” traz desta vez Caroline Lima, integrante do projeto experimental de música e arte Kansu Project , duo que conta também com Sérgio da Mata dividindo as composições. Na última quinta feira (28/03/2013), ás 22:30, foi lançado na página da Kansu Project no facebook o remix de “A Little Bit of Me”, seu primeiro single e, nesse ótimo papo descontraído e espontâneo, Caroline nos falou sobre o interessante processo de produção e gravação das músicas da dupla, suas influências e suas impressões sobre a cena local. Então se ajeite em sua cadeira, aproveite a entrevista, dê um curtir na página do grupo e “FEEL FREE”. 
SRP – O que é a Kansu Project, é um duo? E o que sgnifica? 
Caroline Lima - É um duo sim. Sou eu e Sergio da Mata, meu amigo de adolescência. Sobre o significado... foi a junção dos nomes de personagens de livros que escrevemos em 2002, também é o nome de uma província da China e o nome deriva desse idioma...alguns traduzem como "orquídea&quo…