Pular para o conteúdo principal

É para ficar de boa mesmo.*


            A Callangazoo é uma banda da qual gosto de escrever. Além de gostar do seu som, ela é uma das mais ativas do cenário, seja fazendo shows, ou gravando disco (um a cada ano desde o início de suas atividades) e até mesmo agindo diferente na forma de divulgação do seu trabalho, correndo atrás dos meios que podem levar as suas musicas para lugares cada vez mais distantes e fazendo valer cada esforço nesse sentido. É justo ela ter espaço por aqui sempre que lança algo novo.

            O Dipatchara é a continuidade da musica cada vez mais cheia de personalidade que os rapazes fazem. O rock ensolarado, de arranjos divertidos e swingados estão presentes nesse disco de forma mais madura e mais redonda. Ele não se difere tanto dos demais trabalhos, porém, isso não é um aspecto negativo nos calangos azuis. É até bom e interessante, porque acompanhar a evolução de um grupo como esse, atesta que há uma identidade sendo formada e cada vez mais forte. Ainda mais que novos elementos se inserem dentro dessas novas composições.

            O EP abre com O Princípio é a Intenção com uma guitarra de pegada setentista em uma roupagem pop bem adequada para tocar no radio, isso antes de cair no balanço dançante do baixo, seguido de viradas de bateria e de um solo de guitarra já característico da banda. A faixa título tem uma introdução que lembra algo feito pelo Alceu Valença quando este era chamado de "o príncipe do pop nacional" e traz a essência bem humorada e suave da banda dando as caras na obra. Espero Ter Você Ali começa mais rock com um efeito trêmulo na guitarra e riffs assobiáveis e uma boa letra que versa sobre como as coisas ficam bem quando se está acompanhado por alguém que se gosta. Em Jenesequá o grupo introduz pela primeira vez a influência da literatura em sua música, com o texto dessa faixa sendo inspirado no conto "Jenesequá: uma parábola", do Luis Fernando Veríssimo. A canção tem uma levada boa, backing vocals bem colocados e um banjo, todos eles formando uma trilha sonora de um interessante western. Redoma fecha o disco e traz consigo uma valsa envolvente e sinuosa que poderia ser esticada mais um pouquinho, misturada com o rock bem típico dos rapazes.


            Como os outros, Dipatchara é um disco que, mesmo sendo um pouco mais sério do que os anteriores, anima e deixa um dia de sol mais claro, assim como um fim de tarde mais suave no balanço da rede e na caminhada casual, sozinho ou bem acompanhado. A produção do Irmão Carlos colaborou bastante para o disco ter a sonoridade que ganhou e as novas influencias que os integrantes trouxeram para dentro da banda deu um diferencial muito significativo ao som da Callangazoo. A arte da capa, feita pelo artista Marceleza de Castilho, que é tipo uma mandala caleidoscópica, embeleza e se liga bem ao conceito do disco. Escute e fique de boa! Escute e fique dipatchara!


*Matéria originalmente publicada em 10/11/2015.

Popular Posts

Resenha: Revista Ozadia, número zero.

Sou um apreciador recente de quadrinhos, e já há algum tempo venho acompanhando o que vem sendo feito de bom neste ramo e fico salivando por novidades dos meus autores preferidos. Ao mesmo tempo que, assim como no rock, é muito bom saber que há uma movimentação local na produção de HQ’s e que essas produções saem de mãos talentosas e possuidoras de uma liberdade criativa que se iguala à música que aprecio. A mais recente novidade é a edição de número zero da revista Ozadia, que é uma compilação de cinco histórias eróticas escritas pelas mãos de sete quadrinistas e roteiristas daqui da Bahia. Lançada com o apoio do selo Quadro a Quadro e ganhando popularidade a cada dia que passa, a revista tem dois aspectos importantes para ser lida mais de uma vez: uma ótima fluência no seu texto e traços inspiradíssimos de seus desenhos. De Ricardo Cidade e Alex Lins, “Especimen” abre a Ozadia com uma ótima ficção cientifica pornográfica, onde a heroína sai em busca de coleta de amostras de um

As 10 Caras do Rock Baiano - Com a Banda Vômitos, "Punk Rock pra mendigo!"

O Portal Soterorockpolitano foi buscar na cidade de Barreiras os entrevistados da oitava entrevista da série “As 10 Caras do Rock Baiano”, são eles o guitarrista Rick Rodriguez e o vocalista Tito Blasphemer, da banda Vômitos. Nessa entrevista eles falam sobre as condições da cena da sua cidade e do esforço para mante-la ativa, suas influências e a inspiração para as suas letras, além da repercussão do clipe da música “Facada”, que já chegou a mais de 3.000 visualizações no Youtube. Então, ajeite-se na sua cadeira e fique ligado para não tomar uma facada no bucho. Soterorockpolitano - Como e quando surgiu a banda? Rick Rodriguez - A banda surgiu em 2007, tínhamos um interesse em comum, que era o punk rock, e isso nos motivou a formar a banda na época, começamos tocando músicas dos Ramones, que era nossa banda preferida e logo em seguida começamos a compor, e ter nossas próprias músicas. Tito Blasphemer - Estávamos cansados da cena de nossa cidade, bandas que

4 Discos de Rock Baiano, a compilação das cinco publicações. Por Leonardo Cima.

Movidos pelo resgate da memória da cena independente da Bahia, no qual o selo SoteroRec tem feito com o Retro Rocks desde o inicio deste ano  e por todas as ações que o cenário também tem feito nesse sentido, decidimos trazer uma compilação especial do nosso site para você que nos acompanha.  Em 2017, o Portal Soterorock fez uma série de matérias que destacava alguns dos principais discos de rock lançados na Bahia ao longo dos anos. Essa série se chamava "4 Discos de Rock Baiano" e como o nome sugere, quatro discos eram referenciados nas matérias.  Foram ao todo cinco publicações com bandas/artistas de gerações distintas reunidas nesta coletânea.  Você vai encontrar aqui pontuações sobre as obras e o mais importante: o registro público sobre elas, para que possam ser revisitadas e referenciadas ao longo dos anos. Passar em branco é que não pode! O aspecto positivo de se visitar essas postagens é a de ver que a maioria das bandas e artistas citados nelas ainda estão em ativida