Em ondas calmas.*


            Mais uma primavera chegou para o André L. R. Mendes e com ela mais um disco para contabilizar na sua inspirada carreira solo. Arquipélago é o quinto cd que o ex-integrante do Maria Bacana acaba de lançar e está preenchido por nove canções com as ja conhecidas leveza e sutileza há muito presentes nas composições do cantor.

            De sua geração, André é um dos artistas mais produtivos na cena tendo lançando um disco a cada ano já há meia década, e que faz do seu trabalho algo significativo e cheio de sentido, e não um passatempo introspectivo. Acredito que a sua música também seja um bom passatempo para ele enquanto o mesmo a faz, mas não é algo que ele guarde sob sete chaves, ou que se sabote com ela.

            Novamente produzido por ele mesmo e utilizando os mesmos recursos que o disco anterior (instrumentos orgânicos, programação de bateria e um iPad), Arquipélago consegue se diferenciar do seu antecessor por dar mais destaque para os instrumentos de corda. Em "Leveza", a primeira a ser disponibilizada na web, a similaridade com Surfbudismo (2014) ainda é bem forte, já em "Casa" o novo trabalho começa a se diferenciar já com a inclusão de um ukelele e com uma ótima letra de boas vindas. Em "As Palaveras Andantes" os sintetizadores e as programações voltam de forma discreta, mas as cordas se mantêm no primeiro plano.

            "Passarinho" tem uma bela melodia bem influenciada por composições beatle e "O Martelo do Tempo" guarda algo hispanico nas suas entrelinhas e um solo de guitarra suave que é bom de escutar mais de uma vez. Em "A Hora de Nascer o Amor" e "O Amor Não se Perde" o cd tem a sua passagem mais romantica, sendo a primeira um pouco mais intimista e a segunda possuindo uma boa base de baixo e bateria, e que vai ganhando um climax maior até o seu final, sendo assim um bom potencial radiofonico. O disco se encerra com "Coração Bater", música assobiável que lembra uma canção de ninar e que possui um ótimo e inspirado solo de violão.

            Arquipélago pode agradar aquele que é grego ou que é troiano, que é de direita ou de esquerda, e mostra uma evolução natural nas composições do André L. R. Mendes. A temátia do amor é algo recorrente em seus discos e cai muito bem nos ouvidos das pessoas em tempos de extremismos. Outra caracteristica que não foi deixada de lado aqui é a atmosfera calma das músicas que está presente o tempo todo. É uma boa trilha para um final de tarde ou dias de chuva fina. Para quem procura muita agitação este não é o caminho a ser seguido, mas se preferir seguir pode gostar do que vai ouvir.

Conheça a música de Andre L. R. Mendes: http://www.andremendesmusica.com.br/


*Matéria originalmente publicada em 23/07/2015
Share:

Online

Matérias

Resenhas