Rádio Soterorock ao Vivo!

Estranheza, rock e ocupe o Pelourinho.*


            Tava meio estranho o Pelourinho nessa sexta. Caminhei do inicio da Avenida Carlos Gomes até o centro histórico e o habitual agitado movimento corriqueiro daquela parte da cidade não estava lá. Uma ou outra pessoa subia comigo a Praça Castro Alves em direção a Praça da Sé e quanto mais me aproximava do Terreiro de Jesus, parecia que o lugar estava ainda mais vazio. Dava até para ouvir o vento frio passando por entre as árvores de lá. Porque? Feriado? Talvez. Crise? Talvez. Medo? Talvez. Descuido com o lugar e com a sua imagem na mídia? Talvez.

            O fato é que foi até difícil de encontrar uma baiana do acarajé que estivesse vendendo um abará para eu poder forrar o meu estômago. Mas achei! E comi bem devagar vendo a baiana voltar a receber os cuidados da sua pedicure, cuidados que interrompi quando cheguei. Um som de voz e violão solitário, com uma paletada que lembrava o Caetano e que ecoava ao longe, foi a trilha sonora do momento e foi a mesma que me guiou para a o Largo Pedro Arcanjo para conferir as bandas Squadro, Circo Litoral e O Terno (SP).

            Salientando que o Pelourinho é muito bem policiado, o caminho até o local do show não teve uma paisagem muito diferente. Ainda com o gosto do quitute baiano na boca adentrei no lugar que tinha pouquíssima gente. Uma pequena parte do espaço havia sido reservada para acomodar uma festa de formatura que começou após o termino do evento, mas que não atrapalhou em nada. As pessoas chegavam devagar e muitos do que foram já estavam presentes antes da primeira banda tocar. Depois de uma certa espera a Squadro subiu ao palco e fez um som bem fincado em bandas brasileiras da década de 1980. Dava para perceber essas influências em algumas melodias e em boa parte no estilo vocal do seu frontman, onde ficaram claras as referências de Barão Vermelho (fase Frejat), Cazuza e Renato Russo. O som do palco não ajudou muito, deixando a música com um aspecto vazio em alguns momentos, mas permitindo a banda se superar em algumas baladas. Para a minha surpresa, ou não, eles encerraram a apresentação com um cover dos Mutantes.

            Com um intervalo curto, foi a vez da Circo Litoral subir ao palco e fazer um som com mais referencias que a banda anterior. Variando entre o indie e as bandas brasileiras dos anos 2000, o conjunto acordou um pouco mais o lugar com canções mais agitadas e um pouco mais conhecidas da maioria das pessoas que foram conferir o evento. Foi um bom repertório quase que completamente autoral, mas que deu espaço para um cover do Muse, que foi desnecessário diante da veia los hermanica da banda. Show e cover agradaram e prepararam o ambiente para o conjunto que viria a seguir. Encerrando a noite os paulistanos d'O Terno fizeram um show que atendeu bem as expectativas de quem foi assisti-los. Com um som que passeia pela jovem guarda, Mutantes, pelo psicodelismo e neo-psicodelismo, pelo garage rock sessentista e com temas que falam sobre o cotidiano e outras coisas sombrias o trio tocou quase tudo o que podia naquela noite.

            A ênfase no seu setlist foi dada para as músicas do seu segundo álbum e para algumas do seu primeiro trabalho, além de atender a pedidos de última hora da platéia que não sossegava em pedir mais uma a mais outra canção. A banda é realmente boa ao vivo, executando com fidelidade os arranjos e texturas que estão nas suas gravações, sendo que em alguns momentos o espírito do Tame Impala baixava com muita força na performance dos rapazes. Quando Estamos Dormindo, Medo do Medo e a versão de Trem Azul, do Clube da Esquina, foram bons momentos e o encerramento com Zé, o Assassino Compulsivo causou estranheza nos convidados da formatura que se ajeitavam em suas cadeiras. Foi um bom show e quem ficou até o final pôde ganhar um autografo da banda que se dispôs a atender a cada um que a procurou.


            Na saída, a estranheza inicial diminuiu bastante quando passei pelo Bar do Nêgo Fua e vi a grande quantidade de gente que se encontrava por lá. O samba estava quente do lado de dentro e muita gente degustando o seu cravinho, ou a sua cerveja, do lado de fora. A Praça Quincas Berro D'agua também não estava diferente, com a sua lotação quase no máximo, cheia de gente aproveitando o ensaio de um artista afropop que será provavelmente uma nova/velha sensação do próximo verão. É esperar para ver! Deu um alívio ver o Pelourinho daquele jeito na saída. Acho que é uma boa questão de ocupação.


*Matéria originalmente publicada em 19/10/2015.
Share:

Online

Bandas

32 Dentes 4 Discos de Rock Baiano 4ª Ligação A Flauta Vértebra Aborígines Acanon Ádamas Almas Mortas Amor Cianeto André dias André L. R. Mendes Anelis Assumpção Antiporcos Apanhador Só Aphorism Aqui tem Rock Baiano Aurata Awaking Baiana System Bauhaus Bilic Black Sabbath Blessed in Fire Blue in the Face Boogarins Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes Buster Calafrio Callangazoo Carburados Rock Motor Cardoso Filho Carne Doce Cartel Strip Club Cascadura Casillero Céu Charles Bukowski Charlie Chaplin Chuva Negra Cidadão Instigado Circo de Marvin Circo Litoral Cólera Dão David Bowie Declinium Derrube o Muro Desafio Urbano Desrroche Destaques dez caras do rock Documentário Downloads Du Txai e Os Indizíveis Duda Spínola Enio Entrevistas Erasy Eric Assmar Espúria Eva Karize Exoesqueleto Festival Filipe Catto Free?Gobar Fresno Fridha Funcionaface Game Over Riverside Giovani Cidreira HAO Heavy Lero Hellbenders Ifá Incubadora Sonora Ingrena Invena Inventura Irmão Carlos Ironbound Jack Doido Jackeds Jardim do Silêncio Jato Invisível Kalmia Kazagastão KZG Lançamentos Latromodem Lee Ranaldo Limbo Lírio Lo Han Locomotiva Mad Monkees Madame Rivera Mais uma Cara do Rock Baiano MAPA Marcia Castro Maria Bacana Maus Elementos Messias Modus Operandi Motherfucker Mulheres Q Dizem Sim Murilo Sá Nalini Vasconcelos Neurática Not Names Novelta O Quadro O Terno Old Stove Olhos Para o Infinito Órbita Móbile Organoclorados Os Canalhas Os Elefantes Elegantes Os Jonsóns Os Tios Overfuzz Ozzmond palco do rock Pancreas Pastel de Miolos Pesadelo Pirombeira Pitty Portal Pós-punk Prime Squad Programas Quadrinhos Rattle Resenha de discos Resenha do cd Reverendo T Reverento T Rivermann Rock Rock Baiano Rock Baiano em Alta Rock de camaçari Ronco Scambo Show Shows Shows. Cascadura Siba Singles Soft Porn Sons que Ecoam Squadro Subaquático Super Amarelo Surrmenage Tangente Teenage Buzz Tentrio Test The Baggios The Cross The Honkers The Pivos Theatro de Seraphin Thrunda Titãs Tony Lopes Tsunami Universo Variante Úteros em Fúria Vamoz! Van der Vous Vende-$e Vivendo do Ócio Wander Wildner Weise Wry

Matérias

Antigas

Mais Populares

Resenhas