Pular para o conteúdo principal

O rock na Bahia é uma labuta pesada!*


Recentemente, a banda Jardim do Silencio lançou na web o seu mais novo EP com três músicas, Carmim. Este compacto é uma amostra do seu próximo disco cheio, Aurora/Depassé, que tem o seu lançamento previsto para o final deste ano. A ideia de lançar um "arauto musical" é interessante, ainda mais que houve uma produção competente e de alta qualidade sobre a obra e sua divulgação.

As imagens da belíssima capa e contra capa foram tiradas no abandonado Cine Teatro Jandaia, assim como a gravação do vídeo clipe de uma das canções. Aliás, o disco todo é dedicado a este lugar que é até mesmo difícil de acreditar que já existiu (existe!) aqui na capital baiana e que o qual a banda aderiu ao movimento Salve o Cine Jandaia, movimento esse que visa tombar e revitalizar o espaço. O grupo ainda sugeriu para aqueles que fossem baixar as músicas, uma forma diferente de remuneração pelo single: você daria uma contribuição voluntária, pagaria o quanto quisesse no download (entre nada e R$20,00), ajudaria a financiar os custos do próximo cd e teria direito a um desconto proporcional no disco que chegará ao fim de 2015.

Mas, mesmo abraçando uma causa nobre em prol da nossa cultura e estimulando uma forma diferente e interessante de fazer alguem investir em seu trabalho, o rock não deixou de ser uma labuta pesada para o conjunto aqui em terras baianas. Eles obtiveram uma resposta quase nula sobre as contribuições, o que comprometeu o andamento das sessões do Aurora/Depassé. Ao mesmo tempo isso não desestimulou o trio que já concluiu as suas gravações junto ao músico/produtor Andre Araujo.

Também contando com o produtor, Carmim traz uma sonoridade acima da média e remete ao som de bandas como Sister of Mercy, Bauhaus, The Cure e Depeche Mode em seus primeiros trabalhos. A faixa título abre bem o disco transmitindo um clima soturno de sombras, com o teclado e sintetizador sobresaindo bastante. Foi justamente essa a escolhida para ganhar o video clipe no Cine Teatro Jandaia. A atmosfera criada na canção casa muito bem com as imagens captadas no lugar, fazendo a imaginação ir longe. "Aurora" é uma bela canção, com guitarra e violão dialogando bem e mantendo a estética sonora do trabalho. O cd encerra com "O Sétimo Dia" que é um pouco mais agitada que as demais, porém mais carregada na temática do EP onde se pode escutar nas letras versos como "imerso na noite fria/passo minhas horas sem sono/cercado em companhia/das sombras de um outono eterno".

Carmim não é um EP ensolarado e nem de longe se dispõe a isso. A noite, as sombras e a melancolia permeiam os onze minutos da obra e, provavelmente, esse aspecto se estenda no próximo álbum cheio. Para quem gosta desta linha de som é um bom aperitivo do que virá. Para quem ainda não conhece é uma boa oportunidade para apreciar essa vertente do cenário rocker baiano, que trabalha bastante e se mantém forte a cada passo.

Conheça o som da Jardim do Silêncio

Vídeo da musica Carmim


*Matéria originalmente publicada em 13/06/2015

Popular Posts

Tem muito som no tabuleiro do rock aqui na Bahia. Por Leonardo Cima.

Depois do nosso hiato no ano de 2018, retomamos às nossas atividades aqui no site em 2019. É bem verdade que escrevemos menos do que esperávamos e pretendíamos, porém continuamos observando o que acontecia na cena ao longo desses doze meses que se passaram. Bastante som foi lançado, várias propostas sonoras diferentes ganharam a luz do dia e mantiveram esse ano como os seus antecessores: agitado em volume e em alta qualidade de produção.
Teve banda/artista apostando em single, ou fazendo as suas primeiras investidas solo, projetos musicais saindo do papel, banda lançando novidade depois de muito tempo sem disponibilizar um novo trabalho, ou seja, uma considerável quantidade de impulsos motivadores levaram à todas essas novidades da cena rocker da Bahia.
Então, resolvi fazer essas micro resenhas para compensar a minha baixa frequência por aqui pelo site no ano que passou e para fazer justiça com esses lançamentos, trazendo alguns títulos nessa matéria. Mas, frisando, essa não é uma lista…

Discoteca Básica Soterorock Apresenta: Entre 4 Paredes

Dando continuidade na nossa maratona especial da quarta edição do Soterorock Sessions, aqui vai mais uma postagem da série Discoteca Básica Soterorock Apresenta. Dessa vez, trazendo mais uma atração do nosso evento, a banda Entre 4 Paredes. Com diversas influências musicais, que vão do pop rock, até o post punk, passando pelo rock nacional e o gótico, o sexteto traz para essa matéria bons sons que merecem uma audição mais atenta e, junto a eles, as suas relações com cada um desses discos. Pegue carona nas dicas do grupo e deguste cada segundo musical dessa lista!
David Vertigo (tecladista)
Suicide - Suicide


O disco que inventou o cyberpunk antes dele existir. O trabalho de estreia homônino da dupla Suicide (Alan Vega nos vocais e Martin Rev no sintetizador) mostra da forma mais crua possível o que bandas de Industrial, EBM e afins só exibiriam décadas mais tarde:  niilismo, subversão, falta de esperança, ódio, inconformismo... Com timbres minimalistas, baterias repetitivas, vocais nonse…

"Carnaval, carnaval, carnaval / Fico tão triste quando chega o carnaval" Por Sérgio Moraes

Com uma sonoridade ímpar desde os idos de 1985, a Banda Organoclorados (Alagoinhas-Bahia), Lançou seu mais recente vídeo “No Carnaval a Gente Esquece”. Você pode ouvir nas plataformas de vídeo espalhadas pela web ou aqui! 



O vídeo faz um paralelo visual da vida cotidiana, euforia e desespero se misturando na obscuridade dos dias turbulentos que vivemos. Misturando imagens de alegria (num simples passeio pela calçadão das ruas com a banda) e desilusões diárias (Coquetel Molotov e afins). A sonoridade blues-Rock da canção é bem vinda, pois, a participação especial de Lucas Costa na gaita harmônica abrilhanta ainda mais as imagens e a sonoridade de “No Carnaval a Gente Esquece”.
Veja e tire suas próprias conclusões deste belo vídeo, letra e composição dos cinco caras!
Organoclorados é: Alan Gustavo - guitarra; André G - baixo; Artur W - guitarra e voz; Joir Rocha - bateria; Roger Silva - teclados.
Título: Trecho da letra de Luiz Melodia “Quando o Carnaval Chegou.”