Pular para o conteúdo principal

Os destaques de 2015 no Portal Soterorock.*


O ano de 2015 foi um ano agitado para a cena baiana de rock’n roll. Várias expectativas foram superadas em relação ao ano anterior, mostrando que o cenário vai muito bem, obrigado. É claro que, para fazer o rock acontecer por aqui, a batalha tem que ser diária. Há a necessidade de vigiar os passos para se ganhar mais espaço e se firmar como parte da agenda cultural da capital e do estado de forma mais justa e visível. Quem nos acompanha sabe que há uma boa crescente do circuito roqueiro baiano diante da quantidade de shows ocorridos e das gravações bem-feitas pelas bandas e artistas locais.

Diante disso, como de costume, o Portal Soterorock mais uma vez elenca os destaques do ano que passaram por aqui e os dividimos em três categorias com dez nomes cada: Melhores discos/EP’s de 2015, Melhores Shows de 2015 e Melhores Shows de Visitantes de 2015. Porém, antes de mostrar os nomes, gostaria de ser justo também com quem bota a mão na massa e que está a todo momento “atrás do palco” ajudando a coisa toda a acontecer e facilitando a vida de muita gente. Sendo você produtor, roadie, dono de casa de show, músico que por muitas vezes se torna produtor dos seus próprios eventos, baristas ou bilheteiros, sintam-se homenageados por nós, pois sabemos da importante contribuição que vocês prestam para o cenário. Também cito aqui alguns dos festivais realizados por produtores locais e que são merecedores de destaque pelo seu significado para a cena. Se caso me esqueci de algum nome, já deixo aqui as minhas humildes desculpas. São eles: Feira Noise, DoSol, Palco do Rock, Arranca Canela, Radioca, Sangue Novo, Big Bands (e os warm ups), Quanto Vale o Show?, Quartas de Peso, Extra Extra Rock, Soterorock Sessions, Vandex TV Festival, Rock Concha, NHL Festival, Fazendo Barulho Festival e São Rock Festival.

Caso você não viu, ou não reconheceu, nenhum nome citado acima ou os que serão citados mais adiante, aqui vai uma dica: saia mais de casa para prestigiar a cena de sua cidade, vá aos shows, valorize as bandas autorais. Pode parecer uma contribuição pequena (talvez insignificante) o esforço para simplesmente comparecer aos eventos, mas acredite, não é. É bom para a banda que vai receber bem você e é bom para você conhecer o que ela tem a oferecer. O rock na Bahia está fervilhando, está acontecendo. Vamos aos nomes!

Melhores discos/EP’s de 2015

Concebida pela redação e por alguns leitores, a lista com os destaques de 2015 nesta categoria não foi uma tarefa das mais fáceis de se fazer, muita banda/artista com trabalho bom ficou de fora, porém, o resultado final ficou interessante. Mas, o que chama a atenção para ela é que a tendência à diversidade roqueira que esta terra possui mais uma vez deu as caras por aqui. Nela você encontra as mais variadas vertentes do rock sendo feitas aqui na Bahia e que vão do stoner ao grind metal, passando pelo britpop, pelo rock clássico, pelo grunge, indie, gótico, pelo rock swingado, pelo suave até chegar ao rock puro. É só conferir abaixo os dez discos/EP’s destacados e seus autores, respectivamente, para ter uma ideia da mistura roqueira lançada neste ano que passou.

1 - Quintais Abertos – Novelta
2 - Exercícios de Insubmissão – Aphorism
3 - Dipatchara – Callangazoo
4 - Get High – Lo Han
5 - Ninguém me Aguenta Mais – Bilic Roll
6 - A Imoralidade das Rosas – HAO
7 - Generation Dreams – Teenage Buzz
8 - Nada Novo Debaixo do Sol – Cartel Strip Club
9 - Arquipélago – André L. R. Mendes
10 - Carmim – Jardim do Silêncio

Melhores Shows de 2015

Também não foi fácil fazer a lista dos dez destaques ao vivo. Ao mesmo tempo foi bem prazeroso ter visto bons shows ao longo de 2015 e trazer aqui os nomes que mais se destacaram em palcos baianos. Nesta lista, você vai conferir bandas que se firmaram na cena com apresentações cada vez melhores, com shows impressionantes em técnica e feeling, performances que deixaram a audiência boquiaberta, boas surpresas, performances que foram exemplo de persistência e militância no underground, bandas que se superaram ao vivo, grupos que promoveram viagens psicodélicas para a plateia e outras que souberam usar a experiência da estrada para dar o melhor de si na noite. Não perca esses nomes da vista.

1 – Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes
2 – Aphorism
3 – Subaquático
4 – Novelta
5 – Inventura
6 – Kalmia
7 – Os Jonsóns
8 – Cartel Strip Club
9 – HAO
10 – Bilic Roll

Melhores shows de Visitantes de 2015

Em 2015 também teve muito shows de bandas e artistas visitantes. Foi o ano da invasão finlandesa na Bahia, com três artistas de lá se apresentando por aqui e com bastante som interessante vindo dos quatro cantos do país. Isso mostra que tem muita gente interessada em tocar por essas terras e muita gente interessada em ver o que o Brasil tem produzido. Aqui, além dos finlandeses, a lista traz banda punk clássica que deu lotação máxima na casa que se apresentou, tem baiana ilustre que nos visitou com um show excelente, grupo cearense que tocou disco novo na íntegra e com fidelidade, show de nostalgia indie das boas, banda sem a famosa Kombi, porém, sem perder a pegada esperada, artista gaúcho que já é “da casa”, apresentação psicodélica nerd seguida de tietagem no Pelô e som muito interessante vindo de Pernambuco. Os festivais que aconteceram foram os grandes responsáveis por trazer a maioria desses artistas e proporcionaram, para os olhos e ouvidos do público, ótimos sons de grupos de fora juntamente com os sons de bandas daqui. Sem mais delongas, abaixo estão os destaques.

1 – Cólera (SP)
2 – Casillero (PE)
3 – Pitty (BA)
4 – Test (SP)
5 – Cidadão Instigado (CE)
6 – O Terno (SP)
7 – Wander Wildner (RS)
8 – Vamoz (PE)
9 – Blueintheface (FIN)
10 – Murilo Sá e Grande Elenco (SP)



*Matéria originalmente publicada em 09/01/2016.

Popular Posts

Marte caindo e aliens entre nós. Por Leonardo Cima.

No sábado do dia 25/01, a banda Marte em Queda lançou o seu trabalho de estreia e esse foi o momento para conferir de perto não só uma, mas duas das bandas que estão mais em alta atividade na cena daqui nesse último ano e meio. O segundo grupo em questão é o My Friend is a Gray, parceiros de jornada do trio baiano e que abriu a noite de som no já marcante Brooklyn Pub Criativo. Com o local sempre pontual no inicio dos sons, comecei a acompanhar a festa pela live do perfil do pub no Instagram no caminho para lá, o que me deixou mais ansioso em chegar e percebendo, já in loco, o quanto não deu para ter, pelo vídeo, a noção de quanta gente compareceu ao evento. É comum o lugar receber uma boa quantidade de gente nas noites de sábado, mas logo de cara, um grupo de pessoas que se aglomerava na parede de vidro do seu lado de fora, para assistir ao som, chamou a atenção. Meio que em zig zag e  me espremendo, adentrei no Brooklyn e a MFIAG, escalada para abrir a noite, já estava

Sexto guia de singles de bandas baianas. Por Leonardo Cima.

Mais uma vez o Portal SoteroRock traz a sua lista de singles de bandas e artistas baianos, lançados ao longo desse período pandêmico no qual nos encontramos neste 2020. Para essa ocasião, a diversidade ainda marca uma forte presença nessa seleta. Rock, pop, metal, eletrônico, folk e o grande leque que se abre a partir desses gêneros vão aparecer para você aqui enquanto faz a sua leitura. Então, abra a sua mente, saiba um pouco sobre cada um dos trabalhos citados aqui, siga cada um nas redes sociais (se possível, é claro!) e, óbvio, escute as canções!! Se você acha que faltou algum artista/banda aqui nessa matéria, mande uma mensagem inbox pelo nosso perfil do Instagram, que iremos escutar! Midorii Kido - Sou o que Sou Para quem acha que o rock já se esgotou em termos de abraçar minorias e até mesmo acredita que é conservador, este primeiro single da drag queen Midorii Kido é um tapa na face daqueles que professam dessa maneira contra o gênero. Sou o que Sou é um rock forte,

O garage noir da The Futchers. Por Leonardo Cima.

Nesses últimos dois meses, o selo SoteroRec teve a honra e a felicidade de lançar na sua série Retro Rocks, os trabalhos de uma das bandas mais interessantes que a cena local já teve e que, infelizmente, não teve uma projeção devidamente extensa. Capitaneada por Rodrigo "Sputter" Chagas (vocal da The Honkers), a The Futchers foi a sua banda paralela idealizada e montada por ele próprio no final do ano de 2006. A propósito, o nome Futchers vem inspirado da dislexia do compositor britânico Billy Childish, que escreve as palavras da mesma maneira que as fala. Ele, ao lado de mais quatro integrantes, também de bandas locais da época, começaram os ensaios com uma proposta sonora voltada mais para o mood e o garage rock, se distanciando um pouco dos seus respectivos trabalhos nos grupos anteriores. Relembrando um pouco daquele período e como observador, esse "peso" de não ter que se repetir musicalmente recaía um pouco mais sobre Rodrigo. Não que houvesse isso