Pular para o conteúdo principal

Se atente ao Home Pocket/Clipoems Rock.*


No último domingo a maresia deu lugar ao bom e velho rock’n roll em prol de uma interessante e diferente experiência. Fui conferir de perto a gravação de mais uma edição do Home Pocket/Clipoems Rock, programa idealizado e capitaneado pelo Arthur Caria e Candido Martinez e que conta com o auxílio do Fernando Udo e do Mark Mesquita, e visa registrar apresentações ao vivo de bandas/artistas dentro do estúdio e divulga-los na web.

Ainda no início de sua trajetória, pelo programa já passaram a cantora Daniela Dangel e a banda Pancreas e contou desta vez com a participação do duo Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes. Os vídeos são postados aos poucos pelas redes sociais e despertam uma certa curiosidade pela próxima captação a ser upada. A qualidade audiovisual é muito bem tratada. Por trás das câmeras há um empenho para se fazer a coisa bem-feita, com o esmero necessário para o visual do local ficar bem e para a equalização do som ficar impecável. Isso sem falar do bom humor entre os componentes da equipe que chega a desafiar constantemente as leis da física!

O estúdio é relativamente pequeno, mas tem o espaço suficiente para comportar grupos com números distintos de integrantes e ainda há espaço para uma plateia de tamanho razoável. O vermelho adotado no cenário e a iluminação dão um clima especial às sessões e uma atmosfera mais vibrante. Assistir a performance de uma banda depois dos preparos finais antes do take inicial é outro aspecto a ser levado muito em conta. O som do estúdio é de alta qualidade e, neste caso, a banda em questão aproveitou muito bem isso e não teve problema para fazer o seu rock a todo volume. A BVEAODE executou boa parte do seu repertório que vem tocando, mas aqui de uma forma mais límpida, com destaques para canção com arranjos levemente modificados, a versão de Dos Margaritas, Mulher Kriptonita e encerrando com Psicologia de Sofá, esta com uma introdução mais psicodélica, sendo assim a melhor passagem do setlist. O peso das composições foi triplicado nesta ocasião, se tornando mais denso e volumoso do que já é e sem perder nada do que foi cantado e tocado na bateria e na guitarra. Ali dentro a música da banda não disputava espaço com mais nada, eram só a dupla e as suas canções de uma maneira exclusiva e realmente diferente de se apreciar. Foi o rock certeiro dos irmãos Jende aguçando os sentidos de forma mais vívida.

O Home Pocket/Clipoems Rock está apenas no começo do seu caminho e há mais bandas por vir pela frente que serão gravadas. Esta é uma iniciativa válida e que fortalece muito a cena, divulgando grupos e registando com qualidade as suas apresentações ao vivo, levando os conjuntos ao conhecimento de quem ainda não os viu de perto. Dentro de algumas semanas você poderá conferir esta apresentação da Búfalos Vermelhos e a Orquestra de Elefantes na internet, a fanpage do programa vai atualizando o seu progresso. É só se ligar!

Fanpage do Home Pocket/Clipoems Rock.

Veja quem já passou por lá:

Música Nada Mais, da Daniela Dangel

Música A Morte te dá as Mãos, da banda Pancreas



 *Matéria originalmente publicada em 02/02/2016.

Popular Posts

Resenha: Revista Ozadia, número zero.

Sou um apreciador recente de quadrinhos, e já há algum tempo venho acompanhando o que vem sendo feito de bom neste ramo e fico salivando por novidades dos meus autores preferidos. Ao mesmo tempo que, assim como no rock, é muito bom saber que há uma movimentação local na produção de HQ’s e que essas produções saem de mãos talentosas e possuidoras de uma liberdade criativa que se iguala à música que aprecio. A mais recente novidade é a edição de número zero da revista Ozadia, que é uma compilação de cinco histórias eróticas escritas pelas mãos de sete quadrinistas e roteiristas daqui da Bahia. Lançada com o apoio do selo Quadro a Quadro e ganhando popularidade a cada dia que passa, a revista tem dois aspectos importantes para ser lida mais de uma vez: uma ótima fluência no seu texto e traços inspiradíssimos de seus desenhos. De Ricardo Cidade e Alex Lins, “Especimen” abre a Ozadia com uma ótima ficção cientifica pornográfica, onde a heroína sai em busca de coleta de amostras de um

As 10 Caras do Rock Baiano - Com a Banda Vômitos, "Punk Rock pra mendigo!"

O Portal Soterorockpolitano foi buscar na cidade de Barreiras os entrevistados da oitava entrevista da série “As 10 Caras do Rock Baiano”, são eles o guitarrista Rick Rodriguez e o vocalista Tito Blasphemer, da banda Vômitos. Nessa entrevista eles falam sobre as condições da cena da sua cidade e do esforço para mante-la ativa, suas influências e a inspiração para as suas letras, além da repercussão do clipe da música “Facada”, que já chegou a mais de 3.000 visualizações no Youtube. Então, ajeite-se na sua cadeira e fique ligado para não tomar uma facada no bucho. Soterorockpolitano - Como e quando surgiu a banda? Rick Rodriguez - A banda surgiu em 2007, tínhamos um interesse em comum, que era o punk rock, e isso nos motivou a formar a banda na época, começamos tocando músicas dos Ramones, que era nossa banda preferida e logo em seguida começamos a compor, e ter nossas próprias músicas. Tito Blasphemer - Estávamos cansados da cena de nossa cidade, bandas que

4 Discos de Rock Baiano, a compilação das cinco publicações. Por Leonardo Cima.

Movidos pelo resgate da memória da cena independente da Bahia, no qual o selo SoteroRec tem feito com o Retro Rocks desde o inicio deste ano  e por todas as ações que o cenário também tem feito nesse sentido, decidimos trazer uma compilação especial do nosso site para você que nos acompanha.  Em 2017, o Portal Soterorock fez uma série de matérias que destacava alguns dos principais discos de rock lançados na Bahia ao longo dos anos. Essa série se chamava "4 Discos de Rock Baiano" e como o nome sugere, quatro discos eram referenciados nas matérias.  Foram ao todo cinco publicações com bandas/artistas de gerações distintas reunidas nesta coletânea.  Você vai encontrar aqui pontuações sobre as obras e o mais importante: o registro público sobre elas, para que possam ser revisitadas e referenciadas ao longo dos anos. Passar em branco é que não pode! O aspecto positivo de se visitar essas postagens é a de ver que a maioria das bandas e artistas citados nelas ainda estão em ativida