Pular para o conteúdo principal

Sons que Ecoam: Thrunda (CE).*


            O "Sons que Ecoam" é um novo espaço dentro do Portal Soterorock que vai dar mais destaque para as bandas independentes de fora da Bahia. Um espaço mais efetivo, na verdade. Já falamos de algumas bandas de fora do estado por aqui, mas sempre dentro de resenhas de shows que acontecem na capital baiana e nada mais justo que dar uma atenção maior aos artistas de outras localidades do país.

            Para essa matéria de estréia, o Soterorock traz a banda cearense Thrunda, que está completando em 2015 quinze anos de existência e está lançando 15 Anos em 23 Minutos, o seu terceiro disco de inéditas. Atualmente como um trio, o grupo é formado por Rodrigo Monte (vocal/baixo), Otávio Medeiros (guitarra) e Hermes "Capone" (bateria) e fazem um punk e hard core com elementos de crossover, tendo referencias de bandas oitentistas e noventistas desse estilo. Para quem gosta de um bom trash na linha do Pantera provavelmente vai se bater com algo que agrade seus ouvidos escutando o som dos caras.

            O som é rápido e sem firulas, do jeito certo para formar rodas de pogo de tirar o fôlego e de bater cabeça. Nesse seu mais recente trabalho, a faixa que o abre já entrega essa veia dos caras com sua música e com o seu título. Introduzindo Sem Cuspe é uma porrada instrumental que por si só já fala bastante sobre a banda. Protesto é pesada e tem uma mensagem que chama o ouvinte para sair da inércia. Nuszeixo é mais rápida e mostra atitude e personalidade na sua letra, Vou de Bike é divertida e tem uma mensagem sustentavel, no sentido saudável e ecológico até, empolga pela sua pegada punk cadenciada. Sensacionalismo Verdade é um hardcore veloz com punch trash do seu meio para o fim. Punkada é mais um convite para que o ouvinte se toque e deixe de ser enganado por falsos moralismos e pelo velho sistema manipulador e ainda versa: "se encontrar isso tudo junto, não dê uma vacilada/pegue sua cabeça e deixe-a toda esmagada".

            É Proibido Distorcer é um hard core tão rápido que se você piscar já perdeu. Pornocore me fez lembrar a fase realmente boa do Raimundos em musica e letra. Muito bom! Umatchongabemmaislonganoteucumeter começa com um sarro dos bons e atenta para que você não acredite em tudo no que vê, lê, ou ouve por aí e depois os reproduz, senão... Rockeiro Reaça pisa no freio para criticar os roqueiros com discursos falsos, fingindo ser o que não são só para tirar vantagem quando aparece uma oportunidade. É uma boa faixa que já começa citando o bom e velho Raul Seixas. Poluição fecha o disco com um hard core desenfreado falando sobre o caos e a poluição que se impregnam cada vez mais no cotidiano da sociedade.

            A Thrunda é uma boa banda nordestina, sendo divertida e sisuda ao mesmo tempo, empolgando em alguns momentos e trazendo mensagens conscientizadoras em suas letras. Os cearenses também possuem um site muito bem organizado, onde você pode encontrar todo o seu trabalho, como os seus dois primeiros discos Punk Rock na Véia (2007) e As Aparências Enganam (2012), alem de agenda, fotos e novidades. Vale a pena a visita. Esse é apenas um dos grupos interessantes que está circulando na cena independente deste país. Logo mais traremos outros nomes por aqui.


Conheça a Trhunda: http://www.thrunda.com.br/#


*Matéria originalmente publicada em 10/11/2015.

Popular Posts

O melhor do que eu não escrevi no Portal Soterorock em 2018. Por Leo Cima.

Neste ano de 2018 o Portal Soterorock resolveu tirar alguns dias de folga. Algo próximo a trezentos e sessenta e cinco dias, quase um ano, é verdade. Porém, é fato que, depois de dez anos cobrindo a cena roqueira local, com textos ou podcasts, sem incentivo financeiro algum, o site decidiu que seria o momento certo para dar um tempinho nas atividades daqui, para priorizar e atender a outras demandas não menos importantes. Mas, mesmo distante das publicações, nos mantivemos atentos ao movimento do cenário, observando quem se manteve atuante, seja em estúdio, ou nos palcos.
Muita coisa aconteceu este ano na cena rocker da Bahia, desde discos lançados até uma boa frequência regular de shows na capital baiana, mesmo com um número cada vez menor de casas que recebe o gênero por aqui. E é esse segundo item que ganhará destaque aqui nesta matéria, em uma outra oportunidade falarei sobres os lançamentos baianos de 2018, vamos com calma. O fato é que, fazendo visitas a eventos, seja como um pag…

“As Dez Caras do Rock Baiano” com Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute)

Chegando ao final da sua primeira fase, a série “As Dez Caras do Rock Baiano” traz em sua quinta entrevista uma das grandes personalidades já presente na cena local há muitos anos: o vocalista da The Honkers, Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute, como preferir). Nessa conversa, que foi uma das mais longas e intrigantes dessa série e realizada na época da volta da banda aos palcos soteropolitanos, Rodrigo falou sobre o que chama a sua atenção no cenário, o cuidado que um artista têm que tomar com a sua própria arte, como a quantidade de informação influencia no jeito raso de ser do novo roqueiro e sobre as intenções para o futuro da The Honkers, além de se mostrar como um autor de livros de auto ajuda em potencial. Você já sabe, se ajeite com firmeza na cadeira e embarque nessa entrevista dessa grande figura do rock da Bahia. 
SRP - Como foi ficar um ano longe da The Honkers? 

Rodrigo Chagas - Zorra... Normal, hehe. Cansei na sétima música. 

SRP – O que achou do retorno da The Honkers aos pa…

Série “As DEZ Caras do Rock Baiano” - Com Caroline Lima, (Voz na Chá de Pensamentos), apresentando "Kansu" o seu mais novo projeto!

A série “As 10 Caras do Rock Baiano” traz desta vez Caroline Lima, integrante do projeto experimental de música e arte Kansu Project , duo que conta também com Sérgio da Mata dividindo as composições. Na última quinta feira (28/03/2013), ás 22:30, foi lançado na página da Kansu Project no facebook o remix de “A Little Bit of Me”, seu primeiro single e, nesse ótimo papo descontraído e espontâneo, Caroline nos falou sobre o interessante processo de produção e gravação das músicas da dupla, suas influências e suas impressões sobre a cena local. Então se ajeite em sua cadeira, aproveite a entrevista, dê um curtir na página do grupo e “FEEL FREE”. 
SRP – O que é a Kansu Project, é um duo? E o que sgnifica? 
Caroline Lima - É um duo sim. Sou eu e Sergio da Mata, meu amigo de adolescência. Sobre o significado... foi a junção dos nomes de personagens de livros que escrevemos em 2002, também é o nome de uma província da China e o nome deriva desse idioma...alguns traduzem como "orquídea&quo…