Pular para o conteúdo principal

SUNDAY ROCK - Alagoinhas, Bahia, Brasil. Por Artur W.*


"Sonho que se sonha junto é realidade"
(Raul Seixas)

Idealizado por Artur W (Organoclorados) e Daniel Barbosa (Universo Variante), o SUNDAY ROCK propõe a ocupação de um espaço-tempo alternativo para combater a monotonia das tardes de domingo. Ao reunir música, expressões artísticas diversas e atividades lúdicas, num ambiente de estímulo à criatividade, o evento também objetiva promover o encontro de amigos, artistas, agitadores culturais da cena alternativa e independente.

Sustentáculo do SUNDAY ROCK: não esperar, colaborar, buscar alternativas, agregar cabeças pensantes, planejar e fazer acontecer. Assim o evento nasceu em Alagoinhas, cidade a 120 km de Salvador, capital do estado da Bahia, Brasil.

Voltado para um público altamente diverso e de todas as idades, o SUNDAY ROCK figurou ainda como uma opção de lazer e cultura para as famílias, devido ao seu formato descontraído, preço acessível e horário vespertino.

A primeira edição do SUNDAY ROCK foi realizada em 26/03/2017, no Foyer do Centro de Cultura de Alagoinhas, das 15h às 21h. A produção do evento ficou a cargo da banda Organoclorados, com apoio do próprio Daniel Barbosa, e contou com cenário, estrutura de palco e som, cantina e bar, tudo montado e elaborado com recursos próprios (financeiros, materiais, logísticos, humanos, artísticos e intelectuais). Além do espaço em si, o Centro de Cultura disponibilizou equipe de apoio (portaria, vigilância, limpeza), estacionamento e iluminação de palco.

Foi um final de tarde muito especial, com famílias e crianças circulando e se divertindo à vontade pelo Centro de Cultura. O evento apresentou um varal de poesias, letras de música e pinturas expostas à visitação, num convite à reflexão e à contemplação. Para as crianças (e adultos também, por que não?), cama elástica na área externa. Destaque ainda para a cerveja artesanal produzida na cidade e que foi comercializada com grande sucesso na cantina.

Tudo isso interligado, conectado, pela transversalidade da música, materializada ao vivo pelos shows de alta qualidade e originalidade. As bandas Not Names, Organoclorados, Universo Variante e Eva Karize encantaram o público presente, desfilando suas composições autorais e algumas versões de artistas famosos nacionais e internacionais do Rock e do Reggae.

Segundo os organizadores, a energia positiva do público e o apoio dos amigos e companheiros da cena cultural independente de Alagoinhas e região foi fundamental para o sucesso desta primeira edição. O evento também pretende agregar artistas e público de toda a região circunvizinha, com possibilidade de ser realizado em outras cidades. Como disse Artur W durante a apresentação da Organoclorados, “os sonhadores precisam estar unidos se quiserem vencer as barreiras do convencional”.

FOTOS:


*Artur W é vocalista e guitarrista da Organoclorados, grupo com vinte e seis anos de estrada com um álbum, dois DVDs e um EP lançados. A banda prepara um novo trabalho, prometido ainda para este ano.

Popular Posts

O melhor do que eu não escrevi no Portal Soterorock em 2018. Por Leo Cima.

Neste ano de 2018 o Portal Soterorock resolveu tirar alguns dias de folga. Algo próximo a trezentos e sessenta e cinco dias, quase um ano, é verdade. Porém, é fato que, depois de dez anos cobrindo a cena roqueira local, com textos ou podcasts, sem incentivo financeiro algum, o site decidiu que seria o momento certo para dar um tempinho nas atividades daqui, para priorizar e atender a outras demandas não menos importantes. Mas, mesmo distante das publicações, nos mantivemos atentos ao movimento do cenário, observando quem se manteve atuante, seja em estúdio, ou nos palcos.
Muita coisa aconteceu este ano na cena rocker da Bahia, desde discos lançados até uma boa frequência regular de shows na capital baiana, mesmo com um número cada vez menor de casas que recebe o gênero por aqui. E é esse segundo item que ganhará destaque aqui nesta matéria, em uma outra oportunidade falarei sobres os lançamentos baianos de 2018, vamos com calma. O fato é que, fazendo visitas a eventos, seja como um pag…

Série “As DEZ Caras do Rock Baiano” - Com Caroline Lima, (Voz na Chá de Pensamentos), apresentando "Kansu" o seu mais novo projeto!

A série “As 10 Caras do Rock Baiano” traz desta vez Caroline Lima, integrante do projeto experimental de música e arte Kansu Project , duo que conta também com Sérgio da Mata dividindo as composições. Na última quinta feira (28/03/2013), ás 22:30, foi lançado na página da Kansu Project no facebook o remix de “A Little Bit of Me”, seu primeiro single e, nesse ótimo papo descontraído e espontâneo, Caroline nos falou sobre o interessante processo de produção e gravação das músicas da dupla, suas influências e suas impressões sobre a cena local. Então se ajeite em sua cadeira, aproveite a entrevista, dê um curtir na página do grupo e “FEEL FREE”. 
SRP – O que é a Kansu Project, é um duo? E o que sgnifica? 
Caroline Lima - É um duo sim. Sou eu e Sergio da Mata, meu amigo de adolescência. Sobre o significado... foi a junção dos nomes de personagens de livros que escrevemos em 2002, também é o nome de uma província da China e o nome deriva desse idioma...alguns traduzem como "orquídea&quo…

“As Dez Caras do Rock Baiano” com Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute)

Chegando ao final da sua primeira fase, a série “As Dez Caras do Rock Baiano” traz em sua quinta entrevista uma das grandes personalidades já presente na cena local há muitos anos: o vocalista da The Honkers, Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute, como preferir). Nessa conversa, que foi uma das mais longas e intrigantes dessa série e realizada na época da volta da banda aos palcos soteropolitanos, Rodrigo falou sobre o que chama a sua atenção no cenário, o cuidado que um artista têm que tomar com a sua própria arte, como a quantidade de informação influencia no jeito raso de ser do novo roqueiro e sobre as intenções para o futuro da The Honkers, além de se mostrar como um autor de livros de auto ajuda em potencial. Você já sabe, se ajeite com firmeza na cadeira e embarque nessa entrevista dessa grande figura do rock da Bahia. 
SRP - Como foi ficar um ano longe da The Honkers? 

Rodrigo Chagas - Zorra... Normal, hehe. Cansei na sétima música. 

SRP – O que achou do retorno da The Honkers aos pa…