Pular para o conteúdo principal

Heavy Lero é 100! Por Leo Cima.


Nesta próxima quinta feira (13/04), vai ao ar no canal do Kazagastão a centésima edição do seu principal programa, o Heavy Lero, dessa vez com destaque especialíssimo para a clássica banda Black Sabbath, em sua fase com o Ozzy Osbourne nos vocais. Em seu terceiro ano de presença no youtube e de uma já bem sucedida jornada, o HL é apresentado pelo jornalista e ex-vj da MTV, Gastão Moreira, ao lado do Clemente Nascimento, vocal d’Os Inocentes e da Clemente e a Fantástica Banda Sem Nome.

Para quem não conhece, o canal exibe ainda o Arquivo KZG, com matérias históricas feitas pelo Gastão resgatadas do seu acervo pessoal, o Em Kaza!, onde entrevista figuras carimbadas do rock e o KZG Recomenda, com boas sugestões do universo roqueiro. O Heavy Lero é sua ponta de lança, sempre trazendo em suas edições quinzenais bandas referenciais do rock mundial e nacional, falando sobre elas de maneira descontraída, objetiva e com forte perfil documental, tendo algo que não pode passar despercebido: um sólido embasamento fincado em uma pesquisa profunda e detalhada sobre os ícones homenageados. É um verdadeiro banquete do bom e velho rock’n roll para quem é amante de boa música sem prazo de validade.

É bom frisar aqui o quanto é importante a existência de um canal com o conteúdo como o do Kazagastão nos dias de hoje. Para o universo do rock de uma maneira mais abrangente, vivemos em um tempo, no mínimo, estranho, e chegar a um programa de número 100 não é uma das tarefas mais fáceis. A cada ano que se passa, as adversidades no percurso do rock vão se acentuando e uma ação como essa para manter a sua chama acesa é louvável. Depois do advento da internet ficou bem comum de se perceber, em boa parte das pessoas dessa mais recente geração, o quanto o interesse pela busca mais curiosa por novos sons vem se enfraquecendo (mesmo com um mundo infinito de músicas disponíveis). Muita gente tem se contentado com a superficialidade dos serviços de streaming, indo somente até onde esse recurso sugere a cada semana quando se abre um aplicativo.

Essa aparente facilidade de ter acesso a novidades sonoras pode não ser tão benéfica quanto parece! Grandes nomes do rock nos deixaram nesses últimos anos e a expectativa pelo surgimento de novas figuras significativas do gênero não é empolgante. A perda do espaço na mídia tradicional para outros estilos tem sido cada vez maior. Você pode até dizer que tem bandas e artistas solo de rock na mídia convencional, mas convenhamos, a qualidade e a sinceridade da maioria delas são altamente questionáveis. Um norteamento sobre o que há de melhor no rock se faz importante e urgente em épocas como a que estamos vivendo e é justamente aí onde o Heavy Lero se faz fortemente presente!

O já citado embasamento é apresentado com bastante sinceridade, empolgação e engajamento pela dupla, que conta com uma equipe que se esforça para deixar redondo o programa que chega até você. É algo feito por pessoas que realmente gostam do assunto sobre o qual estão falando e que acreditam na força e na relevância que essa música possui. Isso é um bom diferencial para a sua qualidade. Cada edição pode ser capaz de levar um bom conhecedor de uma determinada banda a se surpreender com um ou vários fatos que não sabia sobre ela, para depois fazê-lo correr até o seu aparelho de som para escutar os seus respectivos discos. Isso aconteceu comigo no especial do Soundgarden! Ou ainda elucidar as histórias de grupos como a da Secos e Molhados, da Siouxsie and the Banshees e do Stevie Ray Vaughan, que provavelmente você não iria ver em outro lugar, não da maneira clara e vívida que é feita pelo canal.


Esse cuidado minucioso fica mais evidente na recém exibida sequência épica de três programas seguidos dedicados exclusivamente aos Ramones. E a coisa só tende a melhorar! Acompanhar as postagens significa ver também o respeito pela memória da boa música e sua preservação, para que ela prossiga ao longo do tempo influenciando muita gente em várias frentes, seja compondo canções ou comunicando. Reafirmando: a caminhada até este centésimo programa foi feita com muito afinco, suor e na crença de estar contribuindo de maneira pertinente para o fortalecimento do rock. Portanto, nesta quinta feira, reserve alguns minutos do seu dia para assistir ao especial do Black Sabbath. Atenda ao chamado do KZG, assine o canal e se junte aos seus mais de 50.000 inscritos e à sua causa! Pois então, “de música ruim, já deu”!

Link do canal: https://www.youtube.com/user/heavylero1

Popular Posts

"Carnaval, carnaval, carnaval / Fico tão triste quando chega o carnaval" Por Sérgio Moraes

Com uma sonoridade ímpar desde os idos de 1985, a Banda Organoclorados (Alagoinhas-Bahia), Lançou seu mais recente vídeo “No Carnaval a Gente Esquece”. Você pode ouvir nas plataformas de vídeo espalhadas pela web ou aqui!  O vídeo faz um paralelo visual da vida cotidiana, euforia e desespero se misturando na obscuridade dos dias turbulentos que vivemos. Misturando imagens de alegria (num simples passeio pela calçadão das ruas com a banda) e desilusões diárias (Coquetel Molotov e afins). A sonoridade blues-Rock da canção é bem vinda, pois, a participação especial de Lucas Costa na gaita harmônica abrilhanta ainda mais as imagens e a sonoridade de “No Carnaval a Gente Esquece”. Veja e tire suas próprias conclusões deste belo vídeo, letra e composição dos cinco caras!   Organoclorados é: Alan Gustavo - guitarra; André G - baixo; Artur W - guitarra e voz; Joir Rocha - bateria; Roger Silva - teclados. Título: Trecho da letra de Luiz Melodia “Quando o Carnaval Cheg

Tem muito som no tabuleiro do rock aqui na Bahia. Por Leonardo Cima.

Depois do nosso hiato no ano de 2018, retomamos às nossas atividades aqui no site em 2019. É bem verdade que escrevemos menos do que esperávamos e pretendíamos, porém continuamos observando o que acontecia na cena ao longo desses doze meses que se passaram. Bastante som foi lançado, várias propostas sonoras diferentes ganharam a luz do dia e mantiveram esse ano como os seus antecessores: agitado em volume e em alta qualidade de produção. Teve banda/artista apostando em single, ou fazendo as suas primeiras investidas solo, projetos musicais saindo do papel, banda lançando novidade depois de muito tempo sem disponibilizar um novo trabalho, ou seja, uma considerável quantidade de impulsos motivadores levaram à todas essas novidades da cena rocker da Bahia. Então, resolvi fazer essas micro resenhas para compensar a minha baixa frequência por aqui pelo site no ano que passou e para fazer justiça com esses lançamentos, trazendo alguns títulos nessa matéria. Mas, frisando, ess

Marte caindo e aliens entre nós. Por Leonardo Cima.

No sábado do dia 25/01, a banda Marte em Queda lançou o seu trabalho de estreia e esse foi o momento para conferir de perto não só uma, mas duas das bandas que estão mais em alta atividade na cena daqui nesse último ano e meio. O segundo grupo em questão é o My Friend is a Gray, parceiros de jornada do trio baiano e que abriu a noite de som no já marcante Brooklyn Pub Criativo. Com o local sempre pontual no inicio dos sons, comecei a acompanhar a festa pela live do perfil do pub no Instagram no caminho para lá, o que me deixou mais ansioso em chegar e percebendo, já in loco, o quanto não deu para ter, pelo vídeo, a noção de quanta gente compareceu ao evento. É comum o lugar receber uma boa quantidade de gente nas noites de sábado, mas logo de cara, um grupo de pessoas que se aglomerava na parede de vidro do seu lado de fora, para assistir ao som, chamou a atenção. Meio que em zig zag e  me espremendo, adentrei no Brooklyn e a MFIAG, escalada para abrir a noite, já estava