Pular para o conteúdo principal

Novamente singles, mas ainda não é sobre o filme! Por Leo Cima.


Já chegamos ao quinto mês deste ano e a produção dos trabalhos das bandas e artistas locais segue em alta frequência. Assim como muitos discos e EP’s estão sendo lançados, outros tantos singles e registros com menos de quatro faixas também foram disponibilizados nesse período aqui na Bahia. Alguns deles como boas prévias de cds que virão em um futuro breve, um outro sendo releitura de uma gravação mais antiga e mais um de caráter inédito.

Alguns surgem como um cartão de visitas mais extenso das suas artes, como demos, onde uma maneira mais objetiva de divulgar a sua música dá o tom das obras e da proposta de cada artista/banda. Variando entre duas a três faixas, esse formato, junto aos singles, instigam de maneira ao ouvinte querer repetir novamente a experiência mais uma vez. A depender do seu gosto musical, isso provavelmente aconteça.

Com A Lacuna, a banda Invena oficializa de vez a sua nova formação com a Suzi Almeida nos vocais e o Tom Souza na guitarra. Essa faixa é um power pop cheio de punch, com bom refrão e ótimas vocalizações e bons riffs. Ela não estará no próximo cd cheio do grupo, prometido para sair ainda neste semestre, mas foi gravada exclusivamente para divulga-lo e prepara bem o ouvinte para o que virá adiante. A ExoEsqueleto também está preparando um novo lançamento para este ano de 2017. Mas enquanto essa investida dos rapazes não chega, eles disponibilizaram na web a faixa Ifé, mostrando o quão o quarteto se encontra bem mais entrosado com sua mistura musical entre ritmos regionais baianos e o rock, em muito mais coerência. Nessa música, essa linguagem surge cada vez mais forte no som do conjunto, que tem encontrado o jeito certo de fazer o que faz.

Há mais de vinte e cinco anos no cenário roqueiro baiano, a Organoclorados lança recentemente a canção Segunda Feira Ressaqueada. Já inclusa no seu disco de estreia, ela ressurge aqui revisitada, com uma sonoridade mais moderna e que traz à tona as influências da banda. Esta é uma das composições mais interessantes e mais empolgantes do grupo. A Soft Porn lançou essa semana a música Bronson, depois de dois anos do seu disco de estreia e de inúmeros shows por aqui e fora do estado. Com o som que transita entre o eletrônico, o ambient, programações e elementos de rock, o duo formado por Lucas Spanholi e Lucas Brasil avança na sua música e na sua sonoridade, criando camadas e texturas criativas para todo e qualquer momento, basta escolher e dar o play.

Em Meu Mundo, o cantor e compositor Cardoso Filho surge com duas músicas fincadas no pop rock de influência forte no BRock. A faixa título abre o EP com essa atmosfera pop rock oitentista, de piano presente, solos de guitarra e letra que versa sobre a perda de um amor. Em A Ti, o espaço para a balada é mais amplo, com a guitarra ganhando mais ênfase e uma performance vocal mais dramática que chama a tenção. Já a feirense da Lírio surge com uma proposta diferente. Com a demo gravada em 2016 e lançada neste ano, o conjunto conta com uma influência grunge mais presente em suas três composições. O trabalho abre com Desde que Você se Foi, que traz uma pegada arrastada e raivosa, com gritos e distorções em um refrão grudento, com bateria e baixo pulsante, algo entre o Nirvana e o Alice in Chains. Cândido não perde a vibração da sua antecessora e tem a seu favor uma sonoridade mais avolumada, tendo a bateria como destaque, preenchendo de maneira soberana quase as poucas lacunas deixadas pelos demais. Encerrando a sequência, Águas Escuras é mais lenta, mas não menos  raivosa, com uma letra angustiante e um discreto violão em meio a parede de guitarra, que ganha mais presença em um interlúdio quase psicodélico. Som furioso! Acho que Seattle se mudou para o interior da Bahia. Já no replay!

Mais uma vez, essa não foi uma matéria sobre o ótimo filme da imagem acima. Depois ele surge aqui de alguma maneira. Certamente, estes singles e demos tem uma qualidade e uma diversidade que vale a pena ser conferida, mostrando o quanto se tem produzido na Bahia nesse gênero.

Conheça as músicas aqui:






Popular Posts

O melhor do que eu não escrevi no Portal Soterorock em 2018. Por Leo Cima.

Neste ano de 2018 o Portal Soterorock resolveu tirar alguns dias de folga. Algo próximo a trezentos e sessenta e cinco dias, quase um ano, é verdade. Porém, é fato que, depois de dez anos cobrindo a cena roqueira local, com textos ou podcasts, sem incentivo financeiro algum, o site decidiu que seria o momento certo para dar um tempinho nas atividades daqui, para priorizar e atender a outras demandas não menos importantes. Mas, mesmo distante das publicações, nos mantivemos atentos ao movimento do cenário, observando quem se manteve atuante, seja em estúdio, ou nos palcos.
Muita coisa aconteceu este ano na cena rocker da Bahia, desde discos lançados até uma boa frequência regular de shows na capital baiana, mesmo com um número cada vez menor de casas que recebe o gênero por aqui. E é esse segundo item que ganhará destaque aqui nesta matéria, em uma outra oportunidade falarei sobres os lançamentos baianos de 2018, vamos com calma. O fato é que, fazendo visitas a eventos, seja como um pag…

Série “As DEZ Caras do Rock Baiano” - Com Caroline Lima, (Voz na Chá de Pensamentos), apresentando "Kansu" o seu mais novo projeto!

A série “As 10 Caras do Rock Baiano” traz desta vez Caroline Lima, integrante do projeto experimental de música e arte Kansu Project , duo que conta também com Sérgio da Mata dividindo as composições. Na última quinta feira (28/03/2013), ás 22:30, foi lançado na página da Kansu Project no facebook o remix de “A Little Bit of Me”, seu primeiro single e, nesse ótimo papo descontraído e espontâneo, Caroline nos falou sobre o interessante processo de produção e gravação das músicas da dupla, suas influências e suas impressões sobre a cena local. Então se ajeite em sua cadeira, aproveite a entrevista, dê um curtir na página do grupo e “FEEL FREE”. 
SRP – O que é a Kansu Project, é um duo? E o que sgnifica? 
Caroline Lima - É um duo sim. Sou eu e Sergio da Mata, meu amigo de adolescência. Sobre o significado... foi a junção dos nomes de personagens de livros que escrevemos em 2002, também é o nome de uma província da China e o nome deriva desse idioma...alguns traduzem como "orquídea&quo…

“As Dez Caras do Rock Baiano” com Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute)

Chegando ao final da sua primeira fase, a série “As Dez Caras do Rock Baiano” traz em sua quinta entrevista uma das grandes personalidades já presente na cena local há muitos anos: o vocalista da The Honkers, Rodrigo Chagas (Sputter ou Bubute, como preferir). Nessa conversa, que foi uma das mais longas e intrigantes dessa série e realizada na época da volta da banda aos palcos soteropolitanos, Rodrigo falou sobre o que chama a sua atenção no cenário, o cuidado que um artista têm que tomar com a sua própria arte, como a quantidade de informação influencia no jeito raso de ser do novo roqueiro e sobre as intenções para o futuro da The Honkers, além de se mostrar como um autor de livros de auto ajuda em potencial. Você já sabe, se ajeite com firmeza na cadeira e embarque nessa entrevista dessa grande figura do rock da Bahia. 
SRP - Como foi ficar um ano longe da The Honkers? 

Rodrigo Chagas - Zorra... Normal, hehe. Cansei na sétima música. 

SRP – O que achou do retorno da The Honkers aos pa…