Pular para o conteúdo principal

Vigor stoner sem impedimentos. Por Leonardo Cima.



Diretamente da cidade de Perth, na Austrália, na semana que se iniciou o carnaval, foi lançado Doom, o trabalho de estreia da novíssima banda Black Diamond Lake. Super trio com forte influencia de stoner rock, a Black Diamond Lake possui em sua formação o baterista Dimmy "Demolition Man" Drummer (ex The Honkers e ex Vendo 147) assumindo o posto no instrumento, além do Barry Malice-Son (vocal e guitarra) e Mark Linkhorn (guitarra).

Este single contém duas faixas que vão bem além do gênero stoner citado acima, dialogando bastante com o rock clássico, dentre outros estilos que ajudam a dar corpo à musica encontrada aqui. Peso, som arrastado, psicodelismo lisérgico ligado aos sons ecoados do Rancho de La Luna dão um tom denso à característica do conjunto, que não deixa de lado momentos mais empolgantes nas suas composições mostradas aqui.

Na faixa título, encontramos o grupo arriscando bem com as possibilidades sonoras vindas de suas respectivas vivencias no mundo da música. Mais lenta e visceral, Doom se conecta aos sons de bandas da cena de New Orleans dos anos 1990 em seu ataque de guitarras, misturada à acidez lisérgica de um grunge obscuro, promovendo mudanças interessantes no andamento da canção ao longo de sua duração. A inclusão da percussão na faixa indica o contato com a musica brasileira de raiz, mostrando não haver preconceito ou restrições a determinados estilos quanto ao que se pode experimentar em sua própria musica.

Em When You Gonna Let Your Hair Down é onde o trio mostra o seu potencial total, em uma faixa mais enérgica, veloz e objetiva. Com bons riffs de guitarra e bateria sólida, o diálogo do trio com o blues rock setentista se faz mais presente, dando vazão ainda maior ao stoner em sua música, lembrando bandas como Kyuss. A rouquidão do vocalista aqui, pontua ainda mais esse aspecto e que não passe despercebido o solo de guitarra cheio de sensibilidade e vigor. A música funciona muito bem em par com sua faixa irmã e gruda fácil no ouvido.

Diferente de suas bandas conterrâneas surgidas nos últimos dez anos, como o Tame Impala, por exemplo, a Black Diamond Lake se afasta bastante dessa áurea psicodélica sessentista contida nesses grupos e entrega uma proposta sonora que segue um caminho oposto a este, prezando mais pelo peso, por guitarras de presença massiva e por uma bateria raivosa. Não foi nem preciso a presença de um baixo para dar um grave especial na sonoridade realizada pelo trio. Sem restrições, é para se ouvir em alto e bom som!

Comentários

Popular Posts

Resenha: Revista Ozadia, número zero.

Sou um apreciador recente de quadrinhos, e já há algum tempo venho acompanhando o que vem sendo feito de bom neste ramo e fico salivando por novidades dos meus autores preferidos. Ao mesmo tempo que, assim como no rock, é muito bom saber que há uma movimentação local na produção de HQ’s e que essas produções saem de mãos talentosas e possuidoras de uma liberdade criativa que se iguala à música que aprecio. A mais recente novidade é a edição de número zero da revista Ozadia, que é uma compilação de cinco histórias eróticas escritas pelas mãos de sete quadrinistas e roteiristas daqui da Bahia. Lançada com o apoio do selo Quadro a Quadro e ganhando popularidade a cada dia que passa, a revista tem dois aspectos importantes para ser lida mais de uma vez: uma ótima fluência no seu texto e traços inspiradíssimos de seus desenhos. De Ricardo Cidade e Alex Lins, “Especimen” abre a Ozadia com uma ótima ficção cientifica pornográfica, onde a heroína sai em busca de coleta de amostras de um

As 10 Caras do Rock Baiano - Com a Banda Vômitos, "Punk Rock pra mendigo!"

O Portal Soterorockpolitano foi buscar na cidade de Barreiras os entrevistados da oitava entrevista da série “As 10 Caras do Rock Baiano”, são eles o guitarrista Rick Rodriguez e o vocalista Tito Blasphemer, da banda Vômitos. Nessa entrevista eles falam sobre as condições da cena da sua cidade e do esforço para mante-la ativa, suas influências e a inspiração para as suas letras, além da repercussão do clipe da música “Facada”, que já chegou a mais de 3.000 visualizações no Youtube. Então, ajeite-se na sua cadeira e fique ligado para não tomar uma facada no bucho. Soterorockpolitano - Como e quando surgiu a banda? Rick Rodriguez - A banda surgiu em 2007, tínhamos um interesse em comum, que era o punk rock, e isso nos motivou a formar a banda na época, começamos tocando músicas dos Ramones, que era nossa banda preferida e logo em seguida começamos a compor, e ter nossas próprias músicas. Tito Blasphemer - Estávamos cansados da cena de nossa cidade, bandas que

4 Discos de Rock Baiano, a compilação das cinco publicações. Por Leonardo Cima.

Movidos pelo resgate da memória da cena independente da Bahia, no qual o selo SoteroRec tem feito com o Retro Rocks desde o inicio deste ano  e por todas as ações que o cenário também tem feito nesse sentido, decidimos trazer uma compilação especial do nosso site para você que nos acompanha.  Em 2017, o Portal Soterorock fez uma série de matérias que destacava alguns dos principais discos de rock lançados na Bahia ao longo dos anos. Essa série se chamava "4 Discos de Rock Baiano" e como o nome sugere, quatro discos eram referenciados nas matérias.  Foram ao todo cinco publicações com bandas/artistas de gerações distintas reunidas nesta coletânea.  Você vai encontrar aqui pontuações sobre as obras e o mais importante: o registro público sobre elas, para que possam ser revisitadas e referenciadas ao longo dos anos. Passar em branco é que não pode! O aspecto positivo de se visitar essas postagens é a de ver que a maioria das bandas e artistas citados nelas ainda estão em ativida