Pular para o conteúdo principal

Quinto (dessa vez eu contei!) guia de singles de bandas baianas. Por Leonardo cima.

Depois de uma certa espera e de aguardar um pouco para observar como a cena se comportaria na quarentena, enfim está aqui o quinto guia de singles de artistas da Bahia. Segurei a matéria o suficiente para ter uma quantidade boa de materiais disponíveis por aqui e tentei alcançar o máximo deles. Tem de tudo nessa lista, é só rolar para baixo, ler sobre os trabalhos e depois conhecer cada um deles. Certamente algum som ficou de fora e se a sua música não está aqui dessa vez, desde já peço para que entre em contato com a gente pelas redes sociais, para que você e sua banda estejam presentes na próxima seleta.




Kansu Project - 24 Hours

Depois de um longo período de pausa em suas atividades, o duo de eletro pop experimental formado por Caroline Lima e Sérgio da Mata, retornaram com este novo single recheado de batidas dançantes, texturas sonoras e arranjos vocais diversos. 24 Hours promove a vontade de ir direto para a pista, em uma a noite sem fim pegando fogo, em meio a luzes de cores que piscam em frequências intensas. A estrutura da canção respeita o ouvinte quando cria o clima para empolgar no refrão e a ótima voz da Caroline também se faz presente em nuances, sussurros e performances atmosféricas. Não se segure se você sentir vontade de dançar. Se essa musica chegar nos ouvidos da Lady Gaga, ela aprovaria na hora!!






em ti me dar - Estação Esperança/O Irresponsável/Abraço a Três/Onde Tudo Pode se Encontrar

O cantor, compositor e multi-instrumentista Thiago Brandão estreou nesse ano de 2020  o seu mais novo projeto e com ele quatro singles lançados até agora de puro bom gosto e apreço por boas melodias e arranjos. A primeira a chegar, contando com a participação especial do guitarrista Eric Assmar, foi Estação Esperança, um folk rock com pontas de psicodelismo e um texto que sugere uma auto reflexão em tempos difíceis. O Irresponsável tem um clima mais pesado, porém não abandona o som acústico das anteriores, com a bateria marcando o tempo com o bumbo, um slide guitar elegante e backing vocais bem colocados no momento certo da faixa. Abraço a Três e Onde Tudo Pode se Encontrar são mais dois instrumentais lançados pelo artista, com a primeira, acompanhado pelos musicos Danilo Figueiredo e Allan Villas Bôas, seguem a linha do latin rock e acid jazz, e a segunda com um pé forte no hard rock, dando vazão a um ótimo momento da performance dos participantes da musica, seus convidados Caio Aslan e Thiago Baumgarten.



Ouça e veja Abraço a Três aqui: https://www.youtube.com/watch?v=dokrKdMddnU

Ouça e veja Onde Tudo Pode se Encontrar aqui: https://www.youtube.com/watch?v=SSmRHl1VCfs




Orelha Seca - Crimes de Guerra

O trio de crust core Orelha Seca lançou em maio o single que antecede o seu próximo disco, Sinfonia do Caos e da Destruição, e nele toda a explosão, raiva e indignação com o que há de mais podre no humanidade em sua maior extremidade é expresso com velocidade e peso. Uma sonoridade de primeira qualidade, com uma paletada que não titubeia e intensifica a ideia. Não guerra não há boas intenções, só há o favorecimento da industria bélica, morte e descaso com inocentes e só se aprende com ela com os horrores que ela causa (quando se aprende!). Crimes de Guerra também estará inclusa no seu próximo cd. 





Casapronta - Véspera/Meu Sangue tem Dendê

Nesse período de quarentena, a banda feirense Casapronta produziu dois video clipes para duas faixas extraídas do seu álbum de estreia, o Como a Fúria da Beleza do Sol, o qual já apareceu por aqui no inicio desse ano. Com ambos produzidos e dirigidos por Pablues Casapronta, os videos captam bem a atmosfera das músicas e de seu disco como um todo, trazendo um olhar para a contemplação das pequenas e boas coisas desse cotidiano nas rotinas da quarentena em Véspera e valorizando o fator regional na vida dos seus autores e de todos que sabem o valor das suas origens em Meu Sangue tem Dendê. É o que eu costumo dizer para alguns conterrâneos, você pode sair da Bahia, mas a Bahia nunca vai sair de você!

Ouça e veja Véspera aqui: https://www.youtube.com/watch?v=5Vv-ghKi5zE

Ouça e veja Meu Sangue tem Dendê: https://www.youtube.com/watch?v=aojWwCcGC5I







André L. R. Mendes: Desabafo/Dança no Sonho/Teu Doce/Teto de Estrelas

Um dos artistas mais ativos da cena, dentro e fora da condição de quarentena, o cantor e compositor André L. R. Mendes lançou mais quatro singles neste ano. Assim como os próximos, cada um foi lançado em seu respectivo mês e também antecedem o Rei dos Animais, seu próximo álbum. Desabafo prioriza o violão e batida programada para colocar para fora o que sente sobre ver a quem faz melhorar as coisas, ou quem só faz piorar. Em Dança no Sonho André trilha por um caminho mais pavimentado pela mpb, com boas guitarras e assobios de fim de tarde. Teu doce traz uma sonoridade oitentista com ótimos arranjos e nuances de guitarra, mesclados à programação da bateria, ambientando o ouvinte em um synth pop. Teto de Estrelas é uma balada romântica, quase uma espécie de valsa, com efeitos e vozes pontuando trechos da composição, que versa sobre uma jornada pessoal. Que venham mais!









Pessoa - Nos Deixe em Paz!/Acorda Irmão/Xote da Irmandade

Também muito ativo no cenário, independentemente de estar quarentenado ou não, o compositor e cantor Pessoa colocou na praça mais três singles de sua recém carreira solo. Ele não é só ativo, como também possuidor de propostas sonoras mais diversificadas para o seu trabalho. Em nos Deixe em Paz!, um rockão desenfreado, Pessoa distorce a guitarra e grita contra ideias atrasadas de desejo do retorna da ditadura. Já em Acorda Irmão, um trap com a participação especial do AquaHertz nas programações e synths, traz uma mensagem de força motivacional, com elementos de novo pagodão. Antes das duas, em maio chegou o Xote da Irmandade, onde a sanfona e a zabumba, tocadas por Helinho Medeiros e Iago Guimarães (também no triângulo e pandeiro), respectivamente, embalam a serenidade da letra, que mostra a força de um povo honesto.

Ouça Nos Deixe em Paz aqui: https://www.youtube.com/watch?v=nCVcuIbvNI8


Ouça Xote da Irmandade aqui: https://www.youtube.com/watch?v=XZd2TR8CUxI




Lo Han - Colors

Principal expressão do classic rock em terras baianas, a Lo Han lançou nesta quarentena o seu mais recente single, Colors. A canção não foge do segmento original do grupo, utiliza elementos e sotaques sonoros setentistas, como presença forte de slide guitar, voz encorpada, timbres de guitarra cristalinos e toda aquela atmosfera boa de festejar a vida (noturna e diurna) em tempo integral. Dessa vez, eles trouxeram elementos diferentes à sua composição, com arranjos e backing vocais que remetem a fase Let it Be, dos Beatles, conseguindo se diversificar dentro do seu gênero. É só abrir uma boa bebida (com ou sem álcool) e degustar o som.





Gigito - Ratos Canibais/Disgraça/Música de Luau/Tutancâmon/Banda de Roque/Nostradamus

Com o seu bluegrass virtuoso, Gigito tem se mantido bastante produtivo nestes últimos meses, lançando lyric videos de suas novas cancões sempre acompanhadas de um peculiar bom humor. Ratos Canibais conta a história de uma tripulação de ratos marinheiros de um navio no qual começa a acontecer certas atrocidades praticadas por um de seus integrantes. É quase um curta metragem com camadas de interpretação para se refletir. Na instrumental Disgraça os dedilhados se suavizam um pouco mais e há mais espaço para o jazz, tem mensagem subliminar no vídeo e vozes indignadas esbanjam energia com palavras em francês. A bad trip bate em Música de Luau, porém o clima não cai tanto, apenas não dá para ser feliz o tempo todo. A épica Tutancâmon ao longo de seus mais de oito minutos dá bastante espaço para a performance dos rapazes, gerando uma boa paisagem para a sua letra filosofica sobre os tempos atuais, caso o faraó viesse a levantar de sua tumba hoje. Banda de Roque tira um sarro no rockista de boutique (ou em tanto) que acredita em formula pronta para o sucesso e para alimentar seu ego cada vez mais em expansão. Nostradamus é apocalipse puro com a sua trilha sonora frenética e profética, praticamente mais um outro curta aberto a interpretações mais profundas. Um pandemônio sensacional que vale o repeat. Desconfio que ela e Ratos Canibais fazem parte de um mesmo universo!



Ouça e veja Ratos Canibais aqui: https://www.youtube.com/watch?v=nhIZFXGAh1E

Ouça e veja Disgraça aqui: https://www.youtube.com/watch?v=0BxY4z6uv2A

Ouça e veja Música de Luau aqui: https://www.youtube.com/watch?v=l7QLa2fBEH4

Ouça e veja Tutancâmon aqui: https://www.youtube.com/watch?v=fdpCoj60IgU

Ouça e veja Banda de Roque aqui: https://www.youtube.com/watch?v=XkuOmutWZpo

Ouça e veja Nostradamus aqui: https://www.youtube.com/watch?v=mB-8j2PxhaI




Conjura - Peculiar

O duo feirense Conjura ressurge com a sua nova musica de trabalho de forma crua e requintada, expressa de maneira profunda e passional. Quem assume os vocais dessa vez é a baterista Taísla Araujo e ambos instrumentos, guitarra e bateria, conseguem imprimir o peso necessário das sensações cantadas em sua letra, o primeiro apostando em distorções e efeitos para usar bem as sobras e luzes e o segundo sabendo esperar o momento certo para explodir, sem ter pressa de sair de onde estava antes disso acontecer. Uma faixa diferente das suas antecessoras, com uma abordagem interessante da banda. 






Alibal Conspiracy - Troca de Miúdos/Pensamentos Armados

Direto da ilha de Itaparica, o quarteto Alibal Conspiracy já disponibilizou dois singles na rede nesse 2020. O primeiro, Troca de Miúdos, é uma faixa rápida e pesada, contendo uma urgência sonora que beira a tensão de uma explosão em meio a riffs de guitarra, baixo e bateria imparáveis e a poesia do seu vocalista Alipio. Pensamentos Armados é mais densa e soturna, de certa maneira. Com elementos de psicodelismo e de hard rock pesado, a faixa é mais inquieta, expande as sensações propostas na canção anterior e dá mais profundidade à sua letra filosófica. Pensar fora da caixa faz bem!






Organoclorados - Entroncamento Inusitado

Nesta quarentena, os imparáveis Organoclorados disponibilizaram nos streamings a sua mais nova canção. O quinteto de Alagoinhas chega em Entroncamento Inusitado sem abrir mão da sua característica pos punk, porém incrementando elementos na sua música. O efeito abafado na voz na introdução da faixa e a inclusão de um acordeon ao longo dela e um pontual bandolim, dão a esta balada um toque diferenciado neste som do grupo. Uma filosofia sobre relacionamento em meio a referencias cósmicas caracteriza a sua letra, ajudando a composição a também ter um perfil psicodélico.





Meus Amigos Estão Velhos - Camisa Preta

Primeiro single lançado pela Meus Amigos Estão Velhos em 2020, Camisa Preta precede o próximo lançamento do quarteto ainda com data de chegada a ser confirmada. Aqui, o rock enérgico dos rapazes promove o encontro do stoner com o hard rock, sem deixar de lado elementos garageiros, criando um caráter musical radiofônico de grande alcance em potencial. Riffs firmes, cozinha entrosada e um climax mais empolgante do que outro marcam a canção de uma forma que fica difícil não escutá-la novamente. Se Camisa Preta é uma prévia do que a MAEV está para lançar, não haverá disco ruim vindo deles.






Reverendo T e Os Discípulos Descrentes - O Demônio Não Sabe Jogar/Pequenos Milagres Revisitados

A mente inquieta do Reverendo T, aka Tony Lopes, não para um momento e coloca na praça mais dois trabalhos seus. No primeiro, O Demônio Não Sabe Jogar, o Reverendo T aposta no blues de guitarras presentes, como se estivesse dentro de um bar com a luz baixa, fumaça de cigarro e cheiro do malte no ar, com ambos acompanhando o seu característico canto sussurrado. Na segunda, o Reverendo T surge com o Pequenos Milagres Revisitados, onde outros artistas interpretam trabalhos seus. Aqui, Os Bêbados conta com o Márcio Mello nos vocais, nessa interpretação da canção. Nela, o violão, piano e um marcante sussurro evocam uma atmosfera na qual o Leonard Cohen e o Bukovski se encontrariam facilmente para uma parceria. No texto, o fato do quanto os bêbados podem ser os mais verdadeiros e sinceros dos seres humanos, e o quanto eles são sensíveis às suas escolhas permeiam a canção.


Comentários

Popular Posts

"Carnaval, carnaval, carnaval / Fico tão triste quando chega o carnaval" Por Sérgio Moraes

Com uma sonoridade ímpar desde os idos de 1985, a Banda Organoclorados (Alagoinhas-Bahia), Lançou seu mais recente vídeo “No Carnaval a Gente Esquece”. Você pode ouvir nas plataformas de vídeo espalhadas pela web ou aqui! 



O vídeo faz um paralelo visual da vida cotidiana, euforia e desespero se misturando na obscuridade dos dias turbulentos que vivemos. Misturando imagens de alegria (num simples passeio pela calçadão das ruas com a banda) e desilusões diárias (Coquetel Molotov e afins). A sonoridade blues-Rock da canção é bem vinda, pois, a participação especial de Lucas Costa na gaita harmônica abrilhanta ainda mais as imagens e a sonoridade de “No Carnaval a Gente Esquece”.
Veja e tire suas próprias conclusões deste belo vídeo, letra e composição dos cinco caras!
Organoclorados é: Alan Gustavo - guitarra; André G - baixo; Artur W - guitarra e voz; Joir Rocha - bateria; Roger Silva - teclados.
Título: Trecho da letra de Luiz Melodia “Quando o Carnaval Chegou.”

Tem muito som no tabuleiro do rock aqui na Bahia. Por Leonardo Cima.

Depois do nosso hiato no ano de 2018, retomamos às nossas atividades aqui no site em 2019. É bem verdade que escrevemos menos do que esperávamos e pretendíamos, porém continuamos observando o que acontecia na cena ao longo desses doze meses que se passaram. Bastante som foi lançado, várias propostas sonoras diferentes ganharam a luz do dia e mantiveram esse ano como os seus antecessores: agitado em volume e em alta qualidade de produção.
Teve banda/artista apostando em single, ou fazendo as suas primeiras investidas solo, projetos musicais saindo do papel, banda lançando novidade depois de muito tempo sem disponibilizar um novo trabalho, ou seja, uma considerável quantidade de impulsos motivadores levaram à todas essas novidades da cena rocker da Bahia.
Então, resolvi fazer essas micro resenhas para compensar a minha baixa frequência por aqui pelo site no ano que passou e para fazer justiça com esses lançamentos, trazendo alguns títulos nessa matéria. Mas, frisando, essa não é uma lista…

Depois do inferno...Tem outro Inferno...Por Sérgio Moraes

Ouvir bandas novas já faz parte da rotina de quem faz este site acontecer. Há quem duvide e não acredite que escutamos tudo atentamente, letra por letra, acorde por acorde. Nosso trampo é sério porque amamos tudo isso. 
Amo mais ainda quando alguns amigos voltam do inferno com boas novas. É o caso da banda D.D.I (Depois do Inferno), projeto novo de André Jegue (que mantem sozinho o projeto “Funciona Face” e Ex-integrante da não tão distante BR-64) e também André Batista – Bateria, Rodrigo Magalhães - Contrabaixo Mateus Galvão – Guitarra. Todos remanescentes de outras bandas da cidade. 
A DDI nasce com uma identidade própria já marcada pelos trabalhos anteriores dos caras, o que me deixa bastante contente. Quando André Jegue se dedica a cantar Hardcore seus vocais ficam lindos e agressivos não devendo nada a bandas como Dead Fish (Referência relevante do gênero). 
A D.D.I liberou duas ótimas músicas do seu próximo trabalho, “Depois do Inferno” e “Facada do Cão”, (Ouça as duas!). Ambas…